terça-feira, 20 de janeiro de 2009

NOVO EMBATE



Em 2010 Esperidião Amin (PP) e o governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) poderão se enfrentar novamente. É que ambos já articulam para concorrerem ao Senado. Hoje são os mais cotados para assumirem as duas vagas que se abrirão, dos atuais Senadores Neuto de Conto (PMDB) e Ideli Salvatti (PT).
Amin já afirmou que não mais disputa cargos para o executivo, mas para o legislativo não teria problema. A partir de 2011 Amin e Luiz Henrique poderão passar de adversários a companheiros de trabalho.
Só dependerá do eleitor.

E O PP

O PP já se movimenta para recuperar o espaço que vem perdendo desde 2002, quando Amin perdeu o governo para o PMDB. O alvo maior é o PSDB, que terá no vice-governador Leonel Pavan a peça chave para que os pepistas tomem o lugar do PMDB na tríplice aliança.
Pavan, se Luiz Henrique realmente cumprir o acordo de deixar o cargo em janeiro de 2010 para concorrer ao senado, será o governador do estado no ano da eleição e dará as cartas no jogo político.
É nisso que o PP se segura, pois tanto Esperidião Amin quanto o presidente do partido, Joares Ponticelli, não acreditam que a atual tríplice aliança se sustente por muito tempo. Para eles, é muita gente forte querendo ser cabeça de chapa do governo.

DIVERGÊNCIAS 1

Em Jaraguá do Sul a atual administração da prefeita Cecília Konnel (DEM), através do procurador do município Valmir Elói e também do marida da prefeita, Ivo Konnel, acusam o ex-prefeito Moacir Bertoldi (PMDB) de usar a catástrofe do fim do ano passado, pois as prefeituras puderam adquirir materiais sem licitação, para gastar em compras de madeiras e outros materiais sem a comprovada necessidade.
Na coletiva da semana passada, o procurador diz que foram feitos três pagamentos para a execução do mesmo serviço. Ainda, segundo Konnel, uma recuperação do destelhamento no Centro Vida Dr. João Biron foi empenhado o valor de R$ 95,8 mil.
Também foi pago para uma empresa remover o barro da via de acesso ao morro do Rio Molha o valor de R$ 200 mil, o que para a atual administração é um verdadeiro absurdo.

DIVERGÊNCIAS 2



O Procurados Valmir Elói já entrou com uma representação na Promotoria Pública do município e também no Tribunal de Contas contra o ex-prefeito para que ele explique judicialmente os valores questionados.
Moacir Bertoldi, o ex-prefeito, diz que tudo não passa de perseguição política e nega que tenha feito gastos desnecessários ou fora da normalidade.
Agora fica a cargo da justiça decidir quem tem razão, mas que em épocas de seca ou de catástrofes trem prefeito que se aproveita, a isso tem.
Vamos esperar para ver se é o caso de Jaraguá do Sul.

FAZ TEMPO

“Cerca de 70% dos 3.500 leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) no País não estão minimamente adequados ao modelo de humanização considerado ideal por especialistas da área, segundo dados da Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva (Sobrati). Estudos recentes indicam que detalhes simples, como a presença de janela e relógio no quarto - para que o paciente tenha noção de tempo - e maior contato com familiares durante a internação são decisivos não só para a recuperação mais rápida, mas também para evitar sequelas físicas e psicológicas que podem atrasar o retorno à vida normal”.
Esse trecho é parte de uma matéria publicada no portal do consumidor, site do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
Esse tipo de diagnóstico o brasileiro já está careca de saber, pois vem tendo um tratamento não muito adequado há anos em hospitais, principalmente quando o atendimento é pelo SUSto.

CALL CENTER

Aborrecimentos ainda atormentam consumidores que não demonstram sentir os efeitos da nova lei dos Serviços de Atendimento ao Cliente (SACs) – em vigor desde 1º de dezembro de 2008. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Relações com o Cliente (IBRC), os três piores SACs pertencem às empresas de TV por assinatura (63%), telefonia – fixa e móvel – (54%) e transportes terrestres (41%). O resultado também não absolve o atendimento de financeiras, bancos e empresas de aviação, apesar de essas apresentaram resultados um pouco melhores. O presidente do IBRC, Alexandre Diogo, conta que as empresas de transportes terrestres em sua maioria, sequer têm SAC.
Só uma das empresas de telecomunicações, segundo Diogo, já recebeu 14 notificações, que vão gerar processos. A multa varia de R$ 200 a R$ 3 milhões.
Das nove empresas de telefonia testadas, apenas Vivo e Intelig foram aprovadas pelo instituto. Em São Paulo, as empresas de TV por assinatura já receberam mais de 100 autuações. O processo leva em média de 15 a 40 dias para ser concluído.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 20/01/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário