quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

EM CAMPANHA

O presidente do PMDB catarinense, Eduardo Pinho Moreira, já tem dois escritórios montados para dar início a sua campanha ao governo do estado em 2010. Um está instalado na cidade de Criciúma e o outro foi inaugurado esta semana, no bairro Itacorubí, em Florianópolis. Pinho Moreira também já iniciou as conversas com o publicitário Fábio Veiga, que em 2008 fez a campanha vitoriosa de Dário Berger.
Agora começa a percorrer o estado para buscar primeiro o apoio dos filiados e depois para começar a ter visibilidade junto ao eleitor.
Enquanto o vice-governador Leonel Pavan (PSDB) e o Senador Raimundo Colombo (DEM) têm compromissos com seus mandatos, Moreira inicia a onda peemedebista, com o apoio branco do governador Luiz Henrique, para tentar fazer com que o PMDB continue mandando em Santa Catarina.

ARTHUR MONTEIRO



O jornalista Arthur Tadeu Dutra Monteiro, natural de Taquara (RS), que hoje está em Brasília comandando a redação do informativo diário ABC Digital, esteve em Jaraguá do Sul nesta quarta-feira visitando o amigo Curt Nees.
Artur Monteiro, que durante muitos anos morou em Blumenau, sendo inclusive chefe de jornalismo do Jornal de Santa Catarina e Secretário de Comunicação entre 1993 e 1996, só vem para Santa Catarina em ocasiões especiais, pois já construiu uma nova vida da capital federal e disse que dificilmente volta para o estado.
Quem o levou para Brasília foi o ex-deputado federal Renato Vianna, em 1998, para comandar a área de comunicação do seu gabinete. Monteiro gostou da cidade e acabou ficando.
Não está confirmado, mas Arthur deve passar por Blumenau para visitar familiares e amigos que deixou por aqui.

NELSON SANTIAGO



Depois de não aceitar nenhum cargo no segundo mandato de João Paulo Kleinubing (DEM), o Presidente do DEM, ex-chefe de gabinete e coordenador de campanha do prefeito, também desistiu de continuar a frente do Chopp da Vila, Choperia que montara com o sócio Ângelo em setembro de 2008 no Parque Vila Germânica.
Passou a sua cota para o agora ex-sócio e vai se dedicar exclusivamente a sua empresa de consultoria, reativada em novembro último.
Já no fim de 2008 se dizia descontente com o serviço público e pretendia buscar algo mais estimulante, profissional e financeiramente.
Ele havia sido sondado por integrantes do partido para assumir a Secretaria de Comunicação da Prefeitura, mas rejeitou sem pensar muito.

DESANDANDO A MAIONESE 1



Bastou o prefeito de Blumenau João Paulo Kleinubing (DEM) anunciar o novo colegiado que começaram a aparecer os descontentes. No PSDB, muitos membros da executiva e filiados tucanos acabaram ficando uma arara não só com o prefeito, mas também com a direção do partido, que não se impôs na hora das negociações. Um deles chegou a ironizar, dizendo não saber como o PSDB ficou apenas com quatro secretarias tendo quatro vereadores, e o PMDB, com apenas um membro no legislativo, conseguiu três secretarias e a vice-prefeitura.
Muita gente dentro do ninho tucano já começa a se mexer para formar uma chapa para derrotar a ala comandada por Dalírio Beber, que tem como representante o novo secretário Valdair Matias.
Mas no PMDB a coisa também não é um mar de rosas. A ala de Renato Vianna ganhou espaço no governo, colocando Marlene Schlindwein da Fundação Cultural e Álvaro Pinheiro na Regularização Fundiária no lugar dos também peemedebistas Ivo Hadlich e Neusa Pasta Felizette, que fazem parta da turma do ex-vereador Eduardo Sitônio, que se enfraqueceu neste segundo mandato de JPK.

DESANDANDO A MAIONESE 2

Mas é no PP que a coisa realmente pode degringolar. Se dizendo contrariado com os nomes do PP escolhidos por João Paulo, o Deputado Federal João Pizzolatti convocou a imprensa para esta quinta-feira, às 16:00 horas na sede do partido, para anunciar que os Progressistas estão fora do governo. Segundo Pizzolatti, os nomes indicados pelo PP não foram respeitados pelo Prefeito, gerando um descontentamento dentro do partido, segundo a nota enviada.
Os nomes do PP, o ex-vice-prefeito Edson Brunsfeld, Luiz Ayr e principalmente o de Éder Marchi, não foram os indicados pela ala do deputado, que é o atual presidente. Sabe-se que não é de hoje que Pizzolatti e Brunsfeld são os comandantes de duas alas dentro do mesmo partido, mas Edson, nos últimos embates, tem levado a melhor, como no caso da escolha dos nomes para a composição do atual secretariado.
Mas quem deve ficar com a bomba é o prefeito, que já se vê obrigado a acalmar muitos “companheiros” que não ficaram contentes com a configuração do governo.
Na verdade, os mais próximos do prefeito e membros do DEM, blindaram João Paulo e conseguiram abocanhar a ampla maioria dos cargos no governo, fazendo com que alguns acordos feitos antes da eleição não fossem cumpridos.
Em 2012 não só o PT deve vir com candidato próprio, mas os “aliados” PP e PSDB já sinalizam o mesmo caminho, chegando a deixar no ar que no meio do caminho podem virar oposição.

EM EVIDÊNCIA



Em sua primeira sessão ordinária do ano, a Câmara de Vereadores de Florianópolis oficializou a composição dos integrantes de suas nove comissões técnicas. O vereador Erádio Gonçalves, líder da bancada do DEM, foi eleito Presidente da Comissão de Saúde e Vice-Presidente das Comissões de Orçamento, Finanças e Tributação; e Educação, Cultura e Desporto.
No mês de janeiro, o vereador foi escolhido como relator do projeto da reforma administrativa do governo e, também, autor da emenda aprovada pelo plenário, que elevou de 50% para 60% o preenchimento de cargos comissionados por servidores de carreira.

DISSIDÊNCIA NO PSDB

Um grupo de 19 dos 59 deputados do PSDB na Câmara dos Deputados lançou, ontem, uma nota contra a reeleição do deputado José Aníbal (SP) ao cargo de líder do partido na casa.
No texto, os parlamentares anunciam a criação do "Movimento Unidade, Democracia e Ética". Eles criticam o que consideram como "atitude golpista e antidemocrática da liderança do PSDB" e dizem que não vão seguir as orientações de Aníbal. José Aníbal argumentou que o estatuto do partido permite a reeleição. Ele foi reconduzido ao cargo nesta quarta-feira, com 36 votos favoráveis.
Segundo os deputados contrários, houve uma mudança de regras na noite anterior à eleição do líder para permitir a recondução. Os parlamentares argumentam na nota enviada, que desde 2003 havia uma norma, ratificada pela bancada em 2008, proibindo a reeleição.
Ao final do documento, eles informam que vão atuar de forma coordenada no trabalho parlamentar, pautando-se sempre pelos princípios programáticos do PSDB, e não seguirão a orientação do atual líder da bancada por considerar ilegítima a sua eleição.
Já Aníbal disse que eles sabiam da nova regra, mas que efetivou na época para deixar o tempo correr e chegar a um entendimento.
O texto contra a recondução de José Aníbal é assinado pelos deputados Antonio Carlos Mendes Thame (SP), Antonio Carlos Pannunzio (SP), Arnaldo Madeira (SP), Carlos Alberto Leréia (GO), Carlos Brandão (MA), Emanuel Fernandes (SP), Fernando Chucre (SP), Gustavo Fruet (PR), João Almeida (BA), Julio Semeghini (SP), Jutahy Junior (BA), Leonardo Vilela (GO), Luiz Paulo Vellozo Lucas (ES), Nilson Pinto (PA), Paulo Renato Souza (SP), Ricardo Tripoli (SP), Vanderlei Macris (SP), Walter Feldman (SP) e Zenaldo Coutinho (PA).




Sérgio Eduardo de Oliveira – 05/02/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário