quinta-feira, 26 de março de 2009

PRENDERAM A POLÍCIA 1



Na operação “Arrastão”, feita pela Polícia Federal e pelo Ministério Público de SC na manhã de quarta-feira, o delegado regional e vereador de Brusque pelo PMDB, Ademir Braz de Souza, foi preso pelo suposto envolvimento com a exploração de máquinas caça-níqueis nos municípios de Brusque, Tijucas Canelinha, São João Batista e Itapema.
O delegado César Souza, da Polícia Federal, disse que o líder do grupo era Aleander Muller, e que ele comandava todo o esquema e tinha a incumbência de corromper os policiais para que os mesmos não reprimissem a prática ilegal e repassassem informações privilegiadas sobre operações policiais em busca de suspeitos de envolvimento com o crime. Os policiais envolvidos também tinham a missão de devolver peças de máquinas caça-níqueis apreendidas pela polícia.

PRENDERAM A POLÍCIA 2

Entre os crimes praticados, estão formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, violação de sigilo funcional e contravenção de exploração de jogos de azar.
O delegado Ademir, que atua na polícia há mais de 30 anos e já comandou uma delegacia em Blumenau (no bairro Ponta Aguda), é o mesmo que no início do ano agrediu e prendeu um radialista na cidade de Brusque, mas depois não apareceu na delegacia para assinar a queixa.
O problema dele é que foi pego pelos federais, e não pelos seus colegas de profissão aqui do estado.
Segundo o Promotor Sidney Dallabrida, que também acompanhava as investigações há mais de um ano, os envolvidos serão processados criminalmente e, “diante da robustez das provas coletadas com muita responsabilidade pela Polícia Federal, tenho certeza que a condenação será inevitável”, finalizou.

EX-GOVERNADOR É CONDENADO 1



O juiz Luiz Antônio Zanini Fornerolli, da Fazenda Pública da Capital, condenou o ex-governador Paulo Afonso Evangelista Vieira (PMDB) à suspensão dos direitos políticos por três anos e ao pagamento de multa de 50 vezes o valor de sua remuneração em dezembro de 1996 por improbidade administrativa. O ex-secretário da Fazenda, Oscar Falk, também teve suspenso seus direitos políticos por três anos e vai ter que pagar uma multa civil de 30 vezes o valor de sua última remuneração no exercício do cargo que desempenhava. Silvio Carlos Breda, ex-diretor administrativo e financeiro, e Luiz José Wolfon Magalhães, ex-gerente de administração financeira, ambos da IOESC, também foram condenados a pagamento de multa em 10 vezes o valor de suas remunerações no exercício do cargo que desempenhavam, todos com juros de mora e correção monetária.
Segundo os autos do processo, o ex-governador determinou que o ex-diretor administrativo e financeiro e o ex-gerente autorizassem a transferência de recursos da IOESC, autarquia estadual, no valor de R$ 2,7 milhões para a conta única do Tesouro do Estado, sem observação da destinação específica e de previsão orçamentária.

EX-GOVERNADOR É CONDENADO 2

Segundo Paulo Afonso e Oscar Falk, não houve ilegalidade na transferência, pois estavam embasadas na lei. Os outros dois réus alegaram motivação político-partidária para o ingresso da ação, e que não foram os ordenadores primários das despesas.
Segundo o magistrado, na Lei Estadual que instituiu a IOESC, não há qualquer menção que autorizem seus diretores o remanejamento de recursos financeiros, como ocorreu no caso, uma vez que a lei expressamente restringe sua competência às artes gráficas. Para ele “não houve prejuízo ao erário. O que houve, e isto está provado, foi o ilegal repasse por ausência de previsão legal específica, configurando-se a prática de desvio de finalidade dos recursos financeiros da IOESC, por intermédio de transferência de seus recursos no ano de 1996 em favor do caixa único do Tesouro do Estado, sem comprovação de total devolução, o que caracteriza burla a norma legal que prevê destino específico às referidas verbas”, finaliza.
Esta decisão ainda cabe recurso para os acusados.

SE CONTETOU COM POUCO



Não foi dessa vez que o Metropolitano conquistou o seu primeiro título. Acabou perdendo para o Avai, em casa, por 2 a 1. Se tivesse vencido por dois gols de diferença, seria o campeão.
Enfim, valeu pelo apoio da torcida, que lotou o Sesi em mais de 6 mil pagantes, e também deu a certeza para a diretoria que, se Blumenau tiver um time um pouco melhor, a torcida vai junto.
Mas não podemos esquecer os erros do primeiro turno. Para 2010 tem que ter profissionalismo e força dentro da federação, caso contrário vamos assistir as finais sempre pela televisão.
A torcida também precisa perder esse complexo de inferioridade, achando sempre que o juiz é ladrão e não cobrando do time, do técnico e da direção um melhor desempenho.
É na hora H, como ontem, que o jogador tem que sentir a pressão do torcedor.
Mas futebol é assim mesmo. Um dia perde, no outro ganha.
Ano que vem tem mais.

COMISSÃO DISCUTE RECURSOS

A Comissão Especial Temporária para o acompanhamento dos recursos investidos na reconstrução de Blumenau vai se reunir na sexta-feira, dia 27, às 9h, no Plenário da Câmara Municipal.
A reunião vai ocorrer para a atualização dos investimentos realizados pelos governos municipal, estadual e federal e também entender os motivos pelo qual os recursos não estão sendo liberados.
Além dos integrantes da comissão, também participam do encontro deputados estaduais e federais, senadores, representantes de entidades de classe e representantes do executivo das três esferas.

MORADIAS PARA SC 1

A senadora Ideli Salvatti (PT) participou, em Brasília, na manhã de ontem, do lançamento do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, que pretende construir 1 milhão de moradias para famílias com renda de até 10 salários mínimos (R$ 4.650).
Segundo a Senadora, a previsão é construir 24 mil unidades habitacionais em SC, mas esse número pode mudar. Já para se antecipar na busca da ampliação do número de casas para o estado, Ideli solicitou que os deputados e senadores presentes na reunião do Fórum Parlamentar Catarinense a assinatura de ofício a ser encaminhado ao presidente Lula e à ministra Dilma Rousseff.

MORADIAS PARA SC 2

O objetivo é solicitar que sejam acrescidas as 24 mil moradias previstas para SC, o número de pessoas que perderam suas casas durante as enchentes de 2008, número esse que não foi computado nos cálculos do déficit habitacional feito pelo IBGE.
As regras para que as pessoas interessadas possam aderir ao programa serão divulgadas somente a partir da metade do mês de abril. Para evitar o acúmulo de dívidas com o pagamento do aluguel, o governo definiu que as prestações só começam a serem honradas quando o morador tiver a chave da nova casa.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 26/03/2009

Um comentário:

  1. No caso do PMDB é bem assim que funciona mesmo.
    Pessoas técnicas e qualificadas, e que, muito bateram perna durante a campanha, agora ficaram abandonados.
    Desde que passou o tumulto da catástrofe, Botelho tratou de garantir primeiro o seu lugar esquecendo que um dia já deu a mão pra ele.

    ResponderExcluir