sexta-feira, 17 de abril de 2009

DEUSDITH AUMENTA O CORO



Como o Blog do NEURôNIO havia publicado no último dia 9, o PP está mesmo interessado no passe do vereador Jovino Cardoso Neto (DEM). Deusdith de Souza, vereador do PP, entregou, na sessão de ontem da Câmara de Vereadores de Blumenau, um exemplar do manual e do regimento do Partido Progressista para que Jovino ler durante o feriado prolongado.
“Fico feliz em saber que o presidente do PP estadual, Joares Ponticelli, tem feito contato com o vereador Jovino para trazê-lo para as fileiras do nosso partido”, afirmou Deusdith. “É na convivência que percebemos quem serão colegas vereadores e os amigos vereadores. Gostaria que todos fossem amigos, mas já podemos distinguir”.
E como forma de impressionar o Democrata, Deusdith apresentou alguns números do PP na região. Pra ele, dos 367 mil eleitores do Vale, 65 mil votos são do Partido Progressista, que elegeu cinco prefeitos e dois vices. “Deus queira que possamos dar continuidade neste entendimento e poder abraçá-lo no PP. Se não tem condições de concorrer pelo DEM, não faz mal, pois poderá fazê-lo pelo PP. O DEM tem muitos candidatos. Quando tínhamos 100 mil eleitores, Blumenau já tinha quatro deputados estaduais. Por isso podemos continuar com este número. Espero que o vereador reflita e decida pelo PP”, finalizou Deusdith.

JOVINO AGRADECE, MAS DIZ NÃO 1



“Se alguns estão esperando que eu saia do partido, vão esperar muito, porque vou lutar e conquistar meu espaço”. Com essa frase o vereador Jovino Cardoso Neto (DEM) disse que vai lutar com unhas e dentes para ser candidato a deputado estadual pelo seu partido.
O vereador disse que admira o ex-governador Esperidião Amin, o deputado João Pizzolatti e vereadores da legenda, mas sente que os votos que ele obteve nas eleições de 2008, quando foi o vereador mais votado, ainda ecoam em outros partidos.
Jovino disse também que “qualquer homem tentará impedir, mas jamais deixarei de dar os passos com minhas próprias pernas. E se for para ser candidato, isso acontecerá, porque vergonha não é disputar e perder. Vergonha é não ter coragem de disputar, e coragem e vontade de trabalhar pela cidade e pelo Estado eu tenho”.

JOVINO AGRADECE, MAS DIZ NÃO 2

Ele garantiu que vai ser candidato em 2010, independente de sigla, porque tem um sonho e este sonho só Deus pode impedir. “Existem alguns obstáculos, mas vamos transpondo, para conseguir nossos objetivos”.
Toda essa confiança vem da certeza de ter a candidatura garantida pelo deputado estadual Joares Ponticelli no PP. Se o DEM não der o que ele quer, ele muda sem pensar duas vezes.
No caso dele, Jesus tem poder, de eleger. Que o diga Ismael dos Santos.
Só para lembrar, Ismael, com o apoio da sua igreja, já foi o deputado estadual mais votado de SC e que Jovino só precisará de aproximadamente 30 mil votos, dependendo da legenda, para garantir uma vaga,. O Próprio Kleinubing elegeu-se com pouco mais de 29 mil votos.

BAZAR

Hoje e amanhã, no Ginásio do Colégio Sagrada Família, em Blumenau, acontece o bazar em prol do Hospital Santa Isabel com produtos apreendidos e doados pela Polícia federal.
Mas segundo Amauri Pereira, repórter da Rádio Blumenau AM, desde ás 15:00 horas de ontem já tinha gente na fila a espera da abertura dos portões, que aconteceu às 8:00 horas da manhã de hoje, para conseguir comprar os melhores produtos expostos no Bazar.
Não é a primeira vez que isso acontece, mas sem dúvida é preciso muita paciência e muita vontade para agüentar esperar 17 horas numa fila para comprar aparelhos eletrônicos.

AULAS DA UFSC INICIAM EM AGOSTO

A partir do dia 3 de agosto desse ano começam as aulas das primeiras turmas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no campus de Joinville.
A extensão da universidade federal será no Colégio Estadual Germano Timm, região central da cidade. Segundo o diretor do campus, Acires Dias, a data foi definida na última quarta-feira numa reunião realizada na Secretaria de Educação do município onde também participaram o secretário de Educação de Joinville, Marquinhos Fernandes; a gerente estadual de Educação, Clarice Portela de Lima; o presidente do Ippuj, Luiz Alberto de Souza; o diretor executivo do Ippuj, Vladimir Tavares, e Udo Döhler, presidente da Acij.
O primeiro curso do campus será Engenharia de Mobilidade Urbana contemplando 200 alunos no primeiro semestre.
A conclusão do projeto de adaptações do prédio com melhorias no piso, telhados e pintura está em fase final. O vestibular vai ocorrer entre os dias 8 e 13 de junho.

JORGINHO MELLO 1



O presidente da Assembléia de SC, Jorginho Mello (PSDB), pretende ir à Brasília, levando junto um representante de cada bancada do legislativo catarinense, para tratar, com os presidentes do Senado, José Sarney, e da Câmara dos Deputados, Michel Temer, mais o ministro Carlos Minc, da mudança da lei federal sobre o código ambiental.
Ele quer que os estados tenham um maior poder de decisão sobre a matéria. Com isso, ele pretende que o novo Código Ambiental, aprovado na Assembléia de SC e sancionado pelo governador Luiz Henrique, não seja invalidado por causa das ações judiciais que surgirão.
Respaldado pelo governo do estado, ele pretende uma manobra para evitar mais um desgaste político para o governo e também para os deputados.

JORGINHO MELLO 2

Perguntado sobre as eleições estaduais de 2010, ele disse que, na sua opinião, os três principais partidos da tríplice aliança (PMDB, PSDB e DEM) devem deixar que Eduardo Pinho Moreira, Leonel Pavan e Raimundo Colombo façam suas peregrinações pelo estado colocando seus nomes a disposição e, lá por setembro, se faça uma pesquisa para saber quem tem mais votos. Com isso, escolhe-se o nome do candidato da coligação e os outros partidos tem que ter a grandeza de compor com esse candidato para manter a tríplice aliança no comando de SC.
Mas ele deixou escapar que existe uma ala da tríplice aliança que defende que o PMDB, o PSDB e o DEM saiam com candidaturas próprias e, num eventual segundo turno, os perdedores apóiem quem ainda estiver na disputando da vaga de governador.
Para Jorginho, isso seria muito perigoso.

FIEDLER DIZ QUE OS RECURSOS NÃO CHEGARAM

Na sessão de ontem da Câmara de Vereadores de Blumenau, o vereador Fábio Fiedler (DEM) disse ter saído entristecido da audiência pública, realizada na Câmara Federal na última terça-feira com representantes de vários estados atingidos por catástrofes naturais, porque ter ouvido muitos desabafos de outros estados que há anos não são atendidos, como os Rio Grande do Sul, que não recebeu as verbas federais para a reconstrução do estado em virtude dos desastres de 2007. Fiedler disse também que Minas Gerais desistiu de apresentar projetos ao Governo Federal e já investiu R$ 50 milhões na reconstrução do estado.
Colocando o caso de Blumenau, o vereador apontou que a cidade já investiu R$ 30 milhões e que são necessários mais R$ 650 milhões. Para ele, é importante formar um grupo com políticos e empresários para falar com o presidente: “Não vamos conseguir os recursos se não for à base de pressão política”, afirmou.
Só tem um detalhe que Fiedler acabou esquecendo: a corrida eleitoral já começou e só vai ter vida fácil quem compor com o PT nas eleições de 2010, assim como ocorre aqui em Blumenau, onde a administração atende mais rápido o vereador que for da base aliada do prefeito.
Não deveria, mas isso, hoje, é a política no Brasil.

ASSINATURA DA ORDEM DE SERVIÇO

No dia 28 de abril, às 10:00 horas, o prefeito João Paulo Kleinubing, de Blumenau, vai assinar a ordem de serviço para a construção do Residencial Libertadores, que vai ser construído na rua Rodolfo Sestrem, no bairro Itoupavazinha. O condomínio vai ter 72 apartamentos que serão ocupados por ex-moradores das ruas Francisco Baumgarten e Germano Grosch (Morro da Coripós), na Escola Agrícola.
Será investido, segundo a prefeitura, R$ 1,1 milhão com recursos próprios do município e mais R$ 1,1 milhão do Ministério das Cidades através da Caixa Econômica Federal.
São aproximadamente 198 pessoas, que mesmo antes da catástrofe de 2008 já moravam em áreas de risco e que poderão ter, novamente, uma moradia definitiva.
Mas como é somente a assinatura da ordem de serviço, vamos esperar para soltar fogos depois da obra pronta.

NOVAS LEIS PARA LIBERAR RECURSOS



Representantes da Defesa Civil fizeram um apelo, durante a audiência da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, para que os deputados federais alterem a legislação para facilitar a liberação de recursos federais para estados e municípios atingidos por calamidades públicas, como a enchente de 2008 em SC e a seca no Nordeste do Brasil.
Durante o evento, foi debatido o repasse de verbas para Santa Catarina, Minas Gerais e Rio de Janeiro, que foram atingidos por chuvas nos últimos meses.
A grande reclamação dos representantes das Defesas Civis dos estados é que a burocracia é quem emperra os repasses com maior rapidez.
Para o diretor da Defesa Civil de Santa Catarina, major Márcio Alves, a legislação não trata os desastres naturais como eventos excepcionais, o que obriga os municípios a adotarem todas as normas para a reconstrução dos chamados "cenários de desastre" - como licitação de obras, apresentação de certidão negativa de débitos fiscais e de licenciamento ambiental -, atrasando a reparação dos danos.
Por causa das exigências normativas, dos 108 municípios catarinenses que decretaram situação de calamidade em novembro do ano passado, apenas 16 receberam integralmente repasses do orçamento federal.

A VISÃO DOS DEPUTADOS

Os deputados que estavam presentes no debate reconheceram a necessidade de alterar a lei que trata de situação de calamidade pública. Para o deputado Márcio Reinaldo Moreira (PP-MG), o Congresso precisa rever as normas que burocratizam a liberação de recursos para emergência.
A intenção é usar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para que se começa o trâmite de um embrião de mudanças nas regras de liberação de recursos para casos emergenciais.
Mas o presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, deputado Silvio Torres (PSDB-SP), propôs a criação de uma subcomissão para estudar as alterações sugeridas pelos representantes da Defesa Civil.
Os representantes das Defesas Civis reconheceram que houve avanços com a edição do Decreto 6.663/08, que reduziu o número de documentos a serem apresentados por estados e municípios para caracterizar o estado de calamidade pública ou de emergência, o que agilizou a transferência de recursos obrigatórios para atendimento das áreas afetadas por desastres, mas querem que o Congresso se aprofunde no debate para garantir recursos regulares para prevenção e reparação de desastres, ampliando a estrutura da Secretaria Nacional da Defesa Civil (SNDC).

IDELI BUSCA O ENTENDIMENTO

A senadora Ideli Salvatti (PT) conseguiu, no dia de ontem, que o Ministro Carlos Minc, do Meio Ambiente, faça um contato telefônico com o governador Luiz Henrique para que ambos entrem num entendimento sobre o código ambiental e também na busca de uma solução para a reivindicação dos agricultores catarinenses.
O impasse entre o ministro e o governo de SC iniciou depois que o governador conseguiu a aprovação e sancionou o novo Código Ambiental do estado. O ministro disse que iria multar todos aqueles que desrespeitarem o código ambiental nacional, pois no entendimento dele a lei federal se sobrepõe ao código aprovado pela Assembléia Legislativa de SC.
A proposta da senadora é que se faça uma audiência entre representantes do governo do Estado, do Ministério do Meio Ambiente, dos Ministérios Públicos Estadual e Federal e também deputados estaduais para que se chegue a um entendimento sobre uma regra única.
Segundo Ideli, não adianta de nada ficar discutindo a questão através dos veículos de comunicação.

MICHEL TEMER ESPERA JUSTIFICATIVA



O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, está esperando uma justificativa por escrito do deputado Fábio Faria (PMN-RN) sobre o uso da cota parlamentar para pagar passagens aéreas para celebridades. O deputado teria usado as passagens destinadas ao parlamentar para levar, em 2008, atores de TV para o carnaval fora de época em Natal e também para transportar a ex-namorada, a apresentadora Adriane Galisteu, e a mãe dela para o mesmo local.
Segundo Temer, o deputado Fábio Faria devolveu para os cofres públicos o que gastou com as passagens, mas só vai tomar uma decisão sobre o caso depois de receber uma explicação formal de Faria.
Michel Temer lembrou que a Mesa Diretora da Câmara já avançou na disciplina dos gastos com passagens aéreas, ao limitar a um único funcionário por gabinete a permissão para emitir os bilhetes, e também disse que a Mesa pode definir mais limitações para esse tipo de despesa.
Independente de ele ter devolvido o dinheiro gasto com passagens, não justifica ele utilizar uma facilidade dada pela Câmara para levar amigos e namorada para uma festa.
É por essas e outras que a farra na política continua, pois não há punição para quem transgride a lei.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 17/04/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário