quarta-feira, 1 de abril de 2009

FOGO AMIGO



O vereador Jovino Cardoso Neto (DEM) usou, ontem, seu tempo na tribuna da Câmara de Vereadores para reclamar do companheiro de partido, Fábio Fiedler, que segundo ele, foi até o gabinete do Prefeito João Paulo, no último dia 20, para informar que Jovino votaria contra o projeto que autoriza o Samae a outorgar a concessão do serviço de esgotamento sanitário, enviado pelo próprio executivo, a pedido do vereador Deusdith de Souza (PP), que sempre se mostrou contrário com a idéia.
“Não admito que o vereador Fábio Fiedler use o nome deste vereador com mentiras. Exijo respeito aos 6.494 votos que este vereador teve”, esbravejou o vereador.
Jovino, através de um documento que mostra o voto de todos os vereadores no dia do encaminhamento do projeto, provou que votou favorável e que votará novamente em favor da aprovação da concessão.
“Quando se dirigir a este parlamentar se dirija com verdade e não leve meu nome a nenhum lugar sem antes consultar se pode ou não falar o nome deste vereador”, disse para Fiedler.
Jovino também acabou chamando o vereador Fábio de “vereador tabelinha”, pois nos seus pronunciamentos, Fábio Fiedler cola na bancada uma tabela com os números dos investimentos feitos pelos governos municipal, estadual e federal na reconstrução da cidade.

A VERDADE

Assim que terminou a sua fala no plenário da Câmara, o vereador Jovino Cardoso Neto ligou para o chefe de gabinete e secretário de comunicação, Cássio de Quadros, informando que encaminharia o documento com o resultado das votações para ele, como forma de comprovar que o que Fábio Fiedler disse, é mentira.
Também tentou agendar uma conversa com o prefeito para explicar o assunto, mas isso só será possível depois que João Paulo voltar, na próxima semana.
Mas essa ira de Jovino se deve por conta da não nomeação dos seus indicados. Na sexta-feira em que Fiedler informou ao prefeito que Jovino votaria contra o projeto, o prefeito acabou não assinando as nomeações do pessoal que ele, Jovino, havia pedido.
E como o prefeito saiu de férias no dia seguinte, os indicados do vereador acabaram tendo que esperar a volta de Kleinubing dos EUA.
Mas Jovino, que também já conversou com o presidente do DEM de Blumenau, Nelson Santiago, quer que seja cumprido o acordo e nomeiem os seus apadrinhados nos cargos prometidos.
Caso as nomeações não saiam, alguma coisa poderá mudar no legislativo.

A ANÁLISE

Kleinubing acabou acreditando em Fábio Fiedler porque, com as investidas de Deusdith de Souza em cima de alguns vereadores, entre eles Jovino, a coisa parecia se complicar para o executivo. Jovino se mostrava indeciso e dava a pinta que iria com Deusdith. Mas como Jovino precisa do pessoal dele nas secretarias para viabilizar alguns serviços, votou favorável.
Essa impaciência do DEM com Jovino já vem desde o ano passado, quando ele e mais alguns vereadores da base de apoio do prefeito, votaram favoráveis ao aumento de salário de quase 60% para a atual legislatura.
Desde então, o vereador Jovino tem criado alguns constrangimentos para o prefeito e para Nelson Santiago, que já não conseguem mais controlar o vereador mais votado de Blumenau em 2008.
E nessa toada, Jovino quer por que quer ser um dos candidatos a deputado estadual pelo partido em 2010.
Essa briga ainda vai longe.

O SARGENTO ASSUME O POSTO

Como já havíamos informado há mais de duas semanas, o suplente de vereador do PDT, Sargento Armindo, assume, hoje, uma cadeira na Câmara de Vereadores de Blumenau pelo período de 30 dias.
Ele entra na vaga do vereador Zeca Bombeiro, que se licenciou para resolver assuntos particulares. Quem deveria assumir o posto era o ex-vereador Leoberto Cristelli, mas como já havia combinado com Armindo, ele deu lugar para o amigo e companheiro de partido.

NA ASSEMBLÉIA

O vereador blumenauense Fábio Fiedler (DEM) estará hoje a tarde na Assembléia Legislativa de SC para informar e pedir o apoio de todos os 40 deputados estaduais para a reconstrução de Blumenau.
No seu pronunciamento de ontem na Câmara, ele informou que, depois dos ajustes dos números na reunião da Comissão, o município de Blumenau já investiu R$ 21,8 milhões, o governo do estado entrou com R$ 10,4 milhões e o governo federal já enviou R$ 9 milhões para as obras emergenciais na cidade.
Ele acredita que amanhã, na Assembléia, vai conseguir o apoio de todos os deputados, independente de partido, para que o Vale do Itajaí se recupere o mais rápido possível.

PREFEITURA E UNIVALI NEGOCIAM



A dívida da Prefeitura de Joinville com a Univali chega hoje, num valor atualizado, de R$ 13,168 milhões, referentes a bolsas de estudo. Mas há dois meses esta pendência está em fase de negociação. O reitor da instituição, Paulo Ivo Koentopp, confirmou a negociação. Na próxima quinta-feira mais detalhes, como o reconhecimento da dívida e um cronograma de pagamento, deverão ser definidos em uma audiência com o prefeito Carlito Merss (PT).
Essa dívida iniciou em 2006, quando os recursos para bolsas a estudantes carentes giravam em torno de R$ 4 milhões por ano e deixaram de ser repassados integralmente. Já em 2008 nenhum valor foi pago para a universidade e nos anos de 2007 e 2006 o valor baixou. Hoje são 1.500 estudantes beneficiados com as bolsas, paga pelo poder público municipal.
"O Município reconhece a importância da instituição para a cidade e é um compromisso do governo resolver esse passivo", confirmou o secretário de Educação, Marquinhos Fernandes.

DIREITO DE RESPOSTA



Recebi do vereador Vanderlei de Oliveira (PT) um e-mail que responde as afirmações do Secretário de Ação Comunitária de Blumenau, Mário Hildebrandt (DEM), que o governo federal somente envia para a cidade o valor do Bolsa Família.
Segue na íntegra a resposta do petista.

"Lamento a forma com que o secretário trata um assunto de tamanha importância para Blumenau. Meu Posicionamento não se dá por ser situação ou oposição ao governo municipal. Estou preocupado é com os recursos, programas e projetos que visam atender nossa população.
Parece que o secretário não conhece dos programas que a própria secretaria que ele responde e administra. Se ele acessasse ao link da própria Semascri no site da Prefeitura não diria tamanha bobagem.
Por outro lado, basta acessar o site transparência do governo federal (
www.portaltransparencia.gov.br) para acompanhar um os recursos que são enviados para a Semascri em Blumenau. Além daqueles que vieram extraordinariamente, sejam dos governos ou de doações".

Atenciosamente

Vereador Vanderlei de Oliveira
Blumenau, 31 de março de 2009.


PANFLETAGEM

O professor Fernando Arteche, coordenador do curso de jornalismo do Ibes Sociesc, de Blumenau, está convidando todos os alunos de jornalismo e também aqueles que defendem a obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de jornalista, para participarem de uma panfletagem, que vai acontecer na frente da escadaria da matriz, na rua XV de novembro.
O ato, que será uma resposta aos ministros do STF, que vão julgar às 14:00 horas o Recurso Extraordinário que poderá sacramentar ou não a necessidade de diploma para o exercício da profissão de jornalista, vai acontecer do meio dia até a uma hora da tarde de hoje.
Pode ser a última chance da justiça fazer realmente aquilo para que foi criada, principalmente com os jornalistas que passam e passaram quatro anos dentro de uma universidade buscando conhecimento prático e teórico para exercerem aquilo que sempre sonharam em fazer.
Independente do resultado da votação, não acabarão com o sonho dos jornalistas de verem, um dia, um mundo melhor e mais justo.

PROJETO É ARQUIVADO

Analisado na tarde de ontem pela Comissão de Constituição, Legislação e Justiça da Câmara de Blumenau, o Projeto de Lei nº 5678, de autoria do vereador ZECA BOMBEIRO (PDT), que instituía a ficha de conduta disciplinar nas escolas da rede municipal de ensino, recebeu parecer contrário e foi encaminhada ao arquivo. A ficha de conduta disciplinar, que seria preenchida pelos professores, serviria para avaliar o comportamento dos alunos. A proposta determinava que os pais ou responsáveis pelo aluno fossem chamados na escola para esclarecimentos e participação em palestras com psicólogos, no caso de anotação negativa. A matéria foi encaminhada ao arquivo por conter vícios de ilegalidade e inconstitucionalidade.

NOVAS REGRAS

A mesa diretora da Câmara dos Deputados aprovou ontem novas regras para uso da tão falada “verba indenizatória”. A partir de maio, os deputados não poderão mais utilizar a verba para o pagamento de despesas com alimentação, pesquisa, serviços de assessoria e trabalhos técnicos.
A nova norma também limita em 30% o uso da verba em serviços de segurança. Também ficará explicitamente proibida a contratação pelo parlamentar de empresa de sua propriedade ou de seus familiares.
O 1º secretário da casa, deputado Rafael Guerra (PSDB-MG), informou que a nova norma será publicada nesta quarta-feira, 1º de abril, mas só entrará em vigor 30 dias depois, em 1º de maio. O objetivo, segundo ele, é permitir que todos os parlamentares conheçam as novas regras e possam adaptar suas rotinas às novas limitações.
A Mesa também discutiu mudanças nas atuais regras para as passagens aéreas para parlamentares, mas a decisão foi adiada para a próxima semana.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 01/04/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário