quarta-feira, 15 de abril de 2009

NA NEREU


Ontem de manhã, na Rádio Nereu Ramos AM, de Blumenau, o radialista Paulo César da Silva mediou um debate entre os deputados estaduais Giancarlo Tomelin (PSDB), Ana Paula Lima (PT) e Ismael dos Santos sobre vários assuntos que dizem respeito especificamente à população do Vale do Itajaí.
Mas, como já era esperado, o mais comentado foi a dificuldade na liberação das verbas e também na falta de informação para as famílias que ainda esperam voltar para as suas casas.
Foram quase duas horas de um jogo de empurrar a culpa nesse ou naquele. Uma hora a deputada Ana Paula culpava a prefeitura por não ter feito o projeto corretamente. Na outra, o deputado Giancarlo Tomelin culpava o governo federal pela morosidade na liberação de verbas.
Enfim, o que se ouviu é que a disputa eleitoral já começou e que ninguém está preocupado, de verdade, com a situação daqueles que foram atingidos pela enchente de 2008.
Ismael defende Luiz Henrique, enquanto Tomelin trata de levantar a bola de Pavan e Ana Paula Lima fala o discurso combinado do PT de que Lula é o melhor de todos.
E o eleitor, como sempre, esperando por um milagre.

JOGO POLÍTICO

É tão claro o jogo político na liberação de recursos para a reconstrução de Blumenau que o deputado federal Décio Lima sequer, em Brasília, passou perto de onde estava o prefeito João Paulo Kleinubing (DEM). Da mesma forma, o prefeito sequer pediu a ajuda de Décio para intermediar um agendamento com quem manda no governo federal para ver se Blumenau consegue, com mais agilidade, liberar os recursos necessários.
Com isso, a cidade não mais vai ter verba federal a fundo perdido, mas sim em forma de financiamento, onde terá que fazer a contra partida (colocar dinheiro do caixa da prefeitura), e também terá que devolver tudo que virá, um dia, dos cofres do governo Lula.
As eleições já começaram, pelo menos para os políticos.

FATO



Não é de hoje que Décio e Ana Paula Lima não rezam pela mesma cartilha do prefeito João Paulo Kleinubing. Blumenau está dividida entre DEM e PT, e os outros partidos pendem para o lado que tem mais chance de vitória. Em 2008, partidos como PMDB, PP e PSDB caíram no colo de Kleinubing (DEM) por conta de pesquisas internas que mostravam que o prefeito tinha mais chance de êxito. Mas em 2004, o PMDB e PDT não pensaram duas vezes em beijar os pés de Décio Lima (PT). O que se vê é que esses partidos que não crescem e aparecem ficam a espera de uma chance para dar o bote e abocanhar cargos na prefeitura.
Assim não adianta ter quatro deputados estaduais na Assembléia, pois todos, sem exceção, pensam dia após dia em como derrubar o adversário e ganhar a chave do cofre.
E o povo que se dane.

NAPOLEÃO PERDEU A BATALHA, MAS NÃO A GUERRA



O prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinubing (DEM), não sancionou o projeto de lei do vereador Napoleão Bernardes (PSDB), que é da base de apoio ao governo municipal, que obrigaria os bancos na cidade a colocarem um agente de segurança em todos os locais de autoatendimento.
O projeto teve aprovação unânime na Câmara e, para justificar a importância da lei, Napoleão promete trazer os argumentos técnicos e jurídicos quando o veto for discutido.
“Cada ato de uma autoridade pública é revestido por uma simbologia. Na medida em que um governo veta um projeto aprovado por unanimidade e os parlamentares sabem do veto pelos meios de comunicação, é porque falta comunicação entre o governo e o parlamento. Se um governo não dialoga com o próprio parlamento, o que será da relação deste governo com a sociedade?”.
E deixando entender que o prefeito cedeu à chantagem dos bancos, Napoleão disse: “A nossa força econômica é maior do que esse argumento ameaçador”.

BATATA QUENTE

Mas não é a primeira vez que o vereador Napoleão Bernardes não consegue falar com o prefeito sobre assuntos da administração. Ele, na verdade, está com uma batata quente nas mãos sobre um dos secretários de Kleinubing.
A notícia já chegou no terceiro andar e muita coisa pode mudar dentro de pouco tempo.
Como diz o caboclo do Dr. César Cim, o prefeito ta mexendo num vespeiro e vai acabar picado pelo enxame.
Fontes da Câmara Municipal dizem que os vereadores estão segurando muita coisa desse segundo mandato, mas quando a bomba estourar, a casa pode cair.
E olha que essa afirmação vem de dentro do prédio da prefeitura.
Não sei exatamente o que é, mas to curioso para saber. Vamos esperar.

NOVAMENTE O ASFALTO

O vereador Vanderlei de Oliveira (PT), de Blumenau, questionou o Programa “Asfalta Blumenau”, que recebeu R$ 20 milhões para as obras de asfaltamento de várias ruas do município.
Essa verba veio do convênio firmado entre o governo de Santa Catarina e a Prefeitura de Blumenau, em 14 de maio de 2007. Segundo Vanderlei, “no período eleitoral víamos as máquinas por todo lado. E por que as máquinas não andaram?”, insinuando que as obras, na época, eram eleitoreiras.
Até posso concordar com o vereador que essas obras eram eleitoreiras, mas tenho que lembrá-lo que o ex-prefeito Décio Lima fez a mesma coisa em 2000, quando começou a colocar um asfalto fino nas ruas da cidade e, depois das eleições, tava tudo esburacado.
Será que naquela época essas obras também não eram eleitoreiras?
Não dá para ter memória curta.

NOVO PRESIDENTE



O PP de Blumenau vai realizar na sexta-feira a solenidade de posse da nova diretoria da Juventude Progressista, o PP Jovem.
Para a minha surpresa, o presidente é o meu amigo Evandro Stein, com quem cursei publicidade e propaganda na Furb, em 2004. Ele foi eleito no último dia 20 de março.
Desde aquela época mostrou-se um cara esforçado e grande companheiro. O PP Jovem está, sem dúvida, em boas mãos.
A posse vai acontecer a partir das 19:30 horas na sede do partido, que fica na Rua João Pessoa, 1563, no Bairro da Velha.
Para os próximos dois anos, Evandro quer dar continuidade aos projetos de formação de lideranças, com palestras, debates, encontros de integração e seminários.
Desde já desejo boa sorte ao novo presidente.

PROCURADORIA ANALISA

Ontem a Comissão de Constituição, Legislação, e Justiça, analisou o Projeto de Lei n.º 5.687, de autoria do vereador Sargento Armindo (PDT) que quer mudar a lei da Área Azul, aumentando de 10 para 30 minutos o tempo de tolerância do sistema.
O novo texto da lei também inclui que as importâncias arrecadadas deverão ser destinadas para conta específica para manutenção do sistema, mas prevê que se houver excesso de arrecadação, o valor será destinado para as entidades assistenciais regularmente inscritas no Conselho Municipal de Assistência Social.
Referente a esse projeto, que acabou causando uma polêmica entre o legislativo e o CDL, já formei minha opinião pela aprovação.
Se desonera a comunidade, a lei é boa. Até porque os espaços para estacionamento não são dos lojistas. Se eles querem beneficiar seus clientes, que paguem o valor de uma hora para eles ou reservem vagas em estacionamentos privados.
Como disse o vereador Deusdith de Souza (PP), quem tem que procurar o legislativo é o CDL e não o inverso.





Sérgio Eduardo de Oliveira – 15/04/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário