terça-feira, 5 de maio de 2009

FUTEBOL EM BLUMENAU


Conversei ontem a tarde, no Programa Passando a Limpo, da rádio Blumenau AM 1260, com o vice-prefeito de Blumenau, Rufinus Seibt (PMDB), e escutei dele que o futebol da cidade é sim um dos assuntos prioritários desse governo.
Segundo Rufinus, só falta definir o que é mais importante: a ampliação do Sesi ou a construção de um novo estádio de futebol em Blumenau.
A partir dessa definição, será feito um projeto para viabilizar junto ao governo do estado, através do Fundesporte, a concretização da obra. Estão empenhados nesse projeto, além de Rufinus, o presidente da Fiesc, Alcântaro Correa, o governador Luiz Henrique e também o presidente da associação de clubes, Nilson Zunino, presidente do Avaí.
Se o estádio de Blumenau não sair agora, não sai nunca mais.

DEVE SER



No fim do programa perguntei para Rufinus Seibt se ele será candidato a deputado estadual pelo PMDB em 2010. Como bom político e grande tocador de gaita, ele respondeu que hoje pretende tocar os projetos na prefeitura, mas como é um soldado do partido, não descarta tal possibilidade.
“Ainda não fui picado por esta mosca azul”, disse Rufinus.
Para o bom entendedor, Seibt no mínimo já está mapeado pelo seu partido para concorrer à Assembléia Legislativa de SC.
Mas ele terá que tirar alguns votos dos já deputados Jean Kuhlmann e Ismael dos Santos, do DEM, e de Giancarlo Tomelin (PSDB) para se eleger.
E como não acredito que o PMDB de Blumenau lance Pulo França, Secretário da 15ª Regional, como candidato por saberem que ele não é bom de voto, acredito que Rufinus será a alternativa mais viável.
Diferente de 2002, quando obteve pouco mais de 7 mil votos, Rufinus hoje tem mais chance de se eleger, principalmente se conseguir colocar em prática os projetos coordenados por ele e se conseguir que o ex-vereador Gaspar faça um bom trabalho junto as Associações de Moradores da cidade.

O BICHO VAI PEGAR

Hoje no programa Passando a Limpo, que é apresentado por mim todos os dias, das 16:00 às 17:00 horas na Rádio Blumenau AM 1260, vou levar duas figuras muito conhecidas na cidade de Blumenau, principalmente no meio político.
Como a rádio Blumenau sempre inova, abrirei os microfones da emissora para o Enoc Mello e o Osmar Aim de Souza. Eles são duas pessoas que sempre estão ligando para as rádios da cidade para reclamar de alguma coisa.
Vamos ver como eles se saem sendo vidraças.
Esse programa vai valer a pena ouvir, não só pelas reclamações contra os governos, mas também por eles poderem contar muita coisa que ainda a cidade não sabe.

A FORÇA DO SUL 1

O presidente estadual do PMDB, Eduardo Pinho Moreira, esteve no dia 1º de maio último na Rádio Difusora AM, de Criciúma, falando sobre vários assuntos. Disse, durante a entrevista, que é pré-candidato ao governo do estado em 2010 e que não existiu nenhuma queda de braço com o governador Luiz Henrique da Silveira sobre nomeações dentro da Celesc Holding, órgão que administra no governo do estado. “Não houve rota de colisão. Houve uma dúvida sobre quem teria a participação em um cargo da Celesc, mas isso não gerou nenhum desconforto entre nós. Temos um relacionamento muito amistoso que já dura 30 anos”, disse Pinho Moreira se referindo a Luiz Henrique.
Sobre as eleições de 2010, Pinho Moreira falou que não vê ameaças à sua candidatura. “Eu acredito que o Dário Berger será um grande aliado. Ele vai estar conosco”, afirmou.

A FORÇA DO SUL 2



Moreira também se mostrou muito entusiasmado com o projeto A Força do Sul. “Nós temos que fazer esse bairrismo mesmo. É a garantia de um desenvolvimento ainda mais forte para a região”, comentando sobre a região sul do estado, sua base eleitoral.
Mas o grande problema é que Eduardo Pinho Moreira esquece que esse projeto tem o mesmo nome do título da edição de número 50 da Revista Metrópole que, segundo o radialista Nei Silva, foi totalmente elaborada dentro da SDR de Criciúma, que na época tinha como secretário Gentil da Luz, sob a coordenação do próprio governo do estado no ano de 2006, utilizando inclusive equipamentos e funcionários daquela Secretaria Regional.
Depois da publicação, todo mundo sabe o que aconteceu. É por essas e outras que o governador Luiz Henrique pode ser cassado ainda este mês.
Será que ele não lembra mais desse caso ou acha que o povo tem memória curta?
Vai saber.

JOGO DE XADREZ

A disputa interna dentro da tríplice aliança mais parece um jogo de xadrez, onde quem mexer errado, acaba levando xeque mate.
Mas nessa, quem parece estar conseguindo avançar com mais rapidez, apesar do silêncio aparente, são os Democratas comandados pelo experiente Jorge Bornhausen. Mesmo a candidatura do senador Raimundo Colombo não decolando, o DEM já lançou o nome do prefeito João Rodrigues, de Chapecó, para uma das duas vagas ao senado; apoiou a candidatura do deputado Herneus de Nadal ao conselho do Tribunal de Contas do Estado, tirando a principal liderança do oeste da disputa em 2010 e conseguindo caminho livre para seus candidatos naquela região; garantiu a presidência da Assembléia Legislativa de SC em 2009 para o deputado estadual Gelson Merísio e vem conseguindo o apoio do prefeito de Florianópolis, Dário Berger (PMDB), para tentar minar as forças da pré-candidatura de Eduardo Pinho Moreira ao governo do estado nas próximas eleições.
Além de tudo isso, tem manifestado o apoio a candidatura de Luiz Henrique ao senado, que está tentando que o vice-governador Leonel Pavan assuma o governo em 2010 e desista de concorrer ao cargo pelo PSDB.
Enquanto Pinho Moreira e Pavan brigam na imprensa para saber quem tem mais força dentro do governo, o DEM guarda suas energias para trabalhar nos bastidores e comer o mingau pelas beiradas.
A propósito, o senador Raimundo Colombo assume hoje, depois de um entendimento entre DEM e PSDB, a liderança da oposição ao governo Lula no Senado, onde ganhará espaços preciosos na mídia nacional.

ÁREA AZUL 1

A proposta do suplente de vereador Sargento Armindo Maria (PDT), que estava ocupando a vaga do vereador Zeca Bombeiro até o último dia 30 de abril, sobre o aumento de 10 para 30 minutos do tempo de tolerância na Área Azul de Blumenau, não é tão absurdo assim.
Tanto é que o vereador de Joinville, Osmari Fritz (PMDB), está tentando que a câmara de Vereadores daquela cidade aprove a criação dos cartões de 15 minutos, onde o motorista teria esse tempo de tolerância sem pagar nada, e o cartão de 30 minutos, onde o usuário pagaria apenas 50% do valor de uma hora, que hoje é de R$ 1,25.
Mas a proposta de lá esbarra no mesmo entendimento do daqui. Estão alegando que a alteração no sistema de Zona Azul de Joinville não é de competência do legislativo, mas sim do executivo.
Como lá o sistema já foi designado pela Conurb para que a empresa Cartão Joinville, do empresário Nédio Vitório, administre o sistema, tudo deve ter outro encaminhamento.

ÁREA AZUL 1

O empresário não descarta mudanças no sistema de estacionamento de Joinville, mas ele, a administração municipal e os vereadores preferiram estipular um prazo de 60 dias para pesquisarem outros sistemas espalhados pelo país.
O maior receio é que esse fracionamento gere maior custo, encarecendo o valor do estacionamento. Mas parece que por lá a solução mesmo é uma velha alternativa discutida anos atrás por lá e por aqui. Devem ser instalados parquímetros, que possibilitaria o motorista a pagar apenas 30 minutos e, a partir daí, seriam cobrados o excedente a cada 5 minutos.
Mas há receios de que os custos de implantação, apesar de já previstos no contrato com a concessionária, sejam altos nesse primeiro momento.
O importante é que, tanto em Blumenau quanto em Joinville, as coisas devem mudar no sistema de estacionamento rotativo.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 05/05/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário