terça-feira, 26 de maio de 2009

PONTICELLI NA BLUMENAU AM 1



Ontem, no programa Passando a Limpo da Rádio Blumenau, tive a oportunidade de conversar com o deputado estadual e presidente do PP de Santa Catarina, Joares Ponticelli, sobre os principais assuntos da política catarinense.
Entre tantas afirmações, Ponticelli disse que, para as eleições de 2010, já mantém um diálogo muito estreito com o PT, com o Democratas, através do senador Raimundo Colombo, com o PSDB, através de Leonel Pavan e Beto Martins (Prefeito de Imbituba) e também com Fernando Coruja, do PPS, e Manoel Dias, do PDT.
A única coligação já descartada de pronto pelo Partido Progressista é com o PMDB. Para ele, não dá para imaginar uma composição do PP com o PMDB em Santa Catarina.

PONTICELLI NA BLUMENAU AM 2
Falando sobre o processo de cassação de Luiz Henrique, Ponticelli disse que algumas lideranças do PMDB se acham acima do bem e do mal. Para ele, as provas são incontestáveis sobre o uso da máquina quando ainda o governador Luiz Henrique estava no cargo, pois o PP anexou no processo documentos dos dois anos anteriores à eleição de 2006 e também provas colhidas durante a campanha, como o caso da Revista Metrópole e o uso da Adjori para divulgar ações do próprio governador.
Sobre o presidente do PMDB de SC, Ponticelli disse que Eduardo Moreira é um “pregador de moral”, pois preferiu, segundo ele, trocar uma disputa eleitoral para ganhar uma pensão vitalícia de R$ 22 mil por ter ficado apenas 8 meses no cargo de Governador de SC. “É a pensão mais imoral que SC paga. Isso é uma agressão a um trabalhador que dedica 35 anos da sua vida para se aposentar com um salário mínimo”.
Ponticelli disse também que “Eduardo Moreira é um mau exemplo, pois além de ganhar R$ 22 mil pela pensão, ganha mais R$ 30 mil como Presidente da Celesc Holding, mais R$ 6 mil como membro do Conselho de Administração da Celesc e ainda mandou o Ronaldo Benedet (Secretário de Segurança Pública do estado) contratar o seu filho, sem concurso, sem processo seletivo, ganhando R$ 10 mil por mês, como médico do Detran em Florianópolis”.

PONTICELLI NA BLUMENAU AM 3

Sobre as Secretarias Regionais, Joares Ponticelli falou que ainda não foi conversado, em nenhum momento, sobre a construção do governo, mas na sua opinião as Regionais devem ser transformadas em coordenadorias do governo. Para ele, Luiz Henrique criou uma estrutura de cargos difícil de ser desmontada.
Quando perguntei sobre a segurança pública no estado, o deputado acabou fazendo um trocadilho com o slogan do governo: “A insegurança se espalha porto toda Santa Catarina”.
Contrapondo a declaração do Secretário Regional Paulo França, que disse que a segurança pública tem defasagem de policial porque nos tempos do governo Amin não houve contratação, Ponticelli disse que o Paulo França tem medo do Amin. “Ele é governo a sete anos”.

PONTICELLI NA BLUMENAU AM 4

Uma denúncia feita por Ponticelli contra Luiz Henrique foi o gasto de R$ 561 mil, sem licitação, feito pelo Governador para que pudesse figurar na mesa de autoridades do 8º Congresso Brasileiro de Comandatuba (BA), organizada por João Dória Junior, e também na Revista Caras.
Disse também que até hoje a Assembléia Legislativa de SC não conseguiu saber de onde veio e para onde iria os quase R$ 2 milhões encontrados no apartamento de Aldo Hey Neto, principal assessor de Luiz Henrique, no Jurerê Internacional, em Florianópolis.
Segundo Ponticelli, o governo do estado não deixou avançar nenhuma CPI, não deixa investigar porque tem o rabo preso.
Enfim, muito foi dito e cabe agora ao governo do estado colocar sua versão.

RESPOSTA DE LHS

Na entrevista concedida para a repórter Dani Lando, da Ric Record, na tarde de ontem em Rio do Sul sobre o seu processo de cassação, Luiz Henrique disse que “o desespero do meu adversário é tanto, que esse será o nono turno que ele, Luiz Henrique, irá ganhar”.
Apesar da confiança do governador, no PMDB de Santa Catarina já se fala em renúncia caso as notícias vindas de Brasília não sejam as esperadas. A cúpula do PMDB está monitorando todo o julgamento e vai esperar um telefonema dos advogados de defesa na quarta a noite para saber, de fato, o que será feito.
Quem vai estar em Brasília acompanhando de perto toda a movimentação, será o secretário Ivo Carminatti, muito ligado a Eduardo Pinho Moreira.
Até esse momento, não há nada que preocupe os peemedebistas, mas como o julgamento é só na quinta-feira, eles preferem ter na manga um plano B.

NOTA OFICIAL DA CÂMARA DE BLUMENAU

Recebi na quinta-feira passada a nota oficial enviada pela assessoria de comunicação da Câmara de Vereadores de Blumenau, sobre o caso do vereador João José Marçal (PP), que se envolveu numa discussão com guardas de trânsito, no último dia 30 de março, na Escola Quintino Bocaiúva, no Texto Salto.
Então a publico para conhecimento dos leitores.

Usando das prerrogativas previstas no art. 41, XX combinado com o art. 45, XXV, e outras cominações do Regimento Interno, vem a Câmara Municipal, por meio de seu presidente, declarar que lamenta profundamente o desentendimento ocorrido entre o vereador João José Marçal e agentes do Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transportes de Blumenau (SETERB).
Declara que deixa de aplicar uma penalidade específica tão somente por tratar-se de fato não tipificado regimentalmente, posto que ocorrido fora do recinto da Câmara, e fora de uma reunião realizada por esta. Tal especificidade inviabiliza, nos termos do Regimento Interno, a aplicação da referida penalidade no caso em tela.
Entretanto, atendendo a recomendação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Blumenau censura a conduta do vereador João José Marçal, considerando a sua condição de político no exercício de função pública nos seguintes termos e que constarão em ata:
1. A livre manifestação de defesa ou eventuais divergências ou opiniões conflitantes de qualquer tema de interesse público é assegurada pela nossa Carta Magna;
2. Mas o juízo de oportunidade e a forma de fazê-lo requer o domínio e o exercício da responsabilidade, serenidade, equilíbrio e clareza;
3. Considerando que, no episódio em tela, houve excesso verbal da parte do Vereador, bem como faltou ao nobre edil, a urbanidade no trato com os demais agentes públicos, a qual se espera de qualquer cidadão e mais ainda, de um representante ungido nas urnas;
Espera ainda a Câmara Municipal que, fatos como o ocorrido, envolvendo o edil desta Casa, não se repitam mais. Isto para preservar não apenas o bom nome e a dignidade desta Casa Legislativa, mas também o valor da própria democracia aos olhos de todos os cidadãos.
De outra parte, a Câmara Municipal reconhece os relevantes e necessários serviços dos agentes públicos vinculados ao Seterb e recomenda ao vereador João José Marçal desculpas públicas em razão dos fatos noticiados.

A VEZ DE FOREST

O vereador licenciado Vanderlei de Oliveira e o atual ocupante da vaga, vereador Jefferson Forest, ambos do PT, estiveram reunidos até por volta das 19:00 horas de ontem com o presidente da Câmara de Blumenau, Jens Mantau (PSDB), e com o diretor da casa, César Botelho (PMDB), para tentar reverter a exoneração de Daniel Gonçalves e Vanucci Deuschur, assessores parlamentares que até a última quinta-feira estavam lotados no gabinete dos petistas. Vanderlei e Forest tentaram argumentar com Jens e com Botelho, dizendo que os dois não tinham culpa pela situação, mas não conseguiram convencê-los e tudo ficou do mesmo jeito. Com isso, os dois funcionários terão mesmo, até segunda ordem, que procurar um novo emprego.
Jens inclusive já disse que vai punir o vereador Jéferson Forest por ter orquestrado a distribuição de pizzas na sessão da semana passada.
Agora Vanderlei e o PT já planejam um contra ataque contra toda a situação criada no legislativo blumenauense.
Na quarta-feira, no programa Passando a Limpo, da Rádio Blumenau, vou conversar com Jefferson Forest e na sexta vou receber o presidente Jens Mantau para tentar esclarecer algumas dúvidas que ainda não tiveram respostas.

A DÚVIDA

Havia uma indecisão sobre a data do julgamento do processo da cassação do diploma do Governador Luiz Henrique. A grande dúvida era se esse julgamento no TSE seria hoje ou no dia 28, quinta-feira.
O Ministro Relator do processo, Feliz Fischer, marcou oficialmente o julgamento para terça, publicando inclusive no Diário Oficial da Justiça Eleitoral esta data como a oficial para o julgamento. Mas na 5ª feira passada a assessoria do Ministro ligou para todos os advogados que atuam, tanto na autoria quanto na defesa do processo, informando que havia decidido adiar para a próxima 5ª feira, 28 de maio, em virtude do acúmulo da pauta.
São dois os processos que o Ministro é relator: um trata do recurso contra a expedição do diploma do Governador e do Vice-Governador de Santa Catarina e o outro é a investigação policial eleitoral que prevê a inelegibilidade de Luiz Henrique e de Pavan.
Mas na sexta-feira passada, o advogado e secretário de estado, Ivo Carminatti (PMDB), recebeu a informação do advogado de Leonel Pavan, Fernando Neves, que o Ministro teria voltado atrás e decidido julgar essas ações no dia de hoje, o que não se confirmou.
Então o julgamento vai acontecer mesmo na quinta-feira, onde todo esse processo terá um desfecho.
Se Luiz Henrique vencer, sai mais forte do que entrou. Se a ação for favorável a Amin, a política catarinense vê ressurgir uma figura que parecia não ter mais fôlego para ocupar qualquer cargo eletivo.
Independente de quem vença, essa, sem dúvida, é a maior disputa eleitoral de todos os tempos em Santa Catarina.

DE CAMAROTE

Vão comparecer para assistir o julgamento do processo contra o governador no TSE, em Brasília, os advogados de acusação Gley Sagaz, do PP, e os de defesa José Eduardo Alckmin e Fernando Neves.
Mas quem também vai assistir tudo em loco é o radialista e dono da Revista Metrópole, Ivonei Raul da Silva, que torce pela cassação de Luiz Henrique para, lá na frente, poder ser inocentado de todas as acusações feitas pelo governo estadual.
Através de seu advogado, Nei Silva está tentando derrubar, no STJ, a censura imposta ao seu livro que está impedido pela justiça de ser lançado nas livrarias. A esperança é que até a próxima quinta, mesmo dia do julgamento do governador, saia a decisão. Com isso, Nei pretende aproveitar o noticiário sobre LHS para também lançar o livro “A Descentralização no Banco dos Réus” em todo o estado de SC.
Só para lembrar que a Metrópole consta nos autos do processo como prova de acusação contra o governador.
Portanto, Luiz Henrique pode na quinta-feira ter duas notícias ruins para o seu futuro político.

AULA INAUGURAL

A aula inaugural do projeto social de capacitação de moradores dos abrigos provisórios de Blumenau, onde também estão envolvidos o arquiteto, decorador e designer Marcelo Rosembaum, que participa de um quadro no programa de Luciano Huck, e a empresa Suvinil, que está doando as tintas para o projeto, será no dia 8 de junho, às 19:00 horas, no Viena Park Hotel, com aproximadamente 200 alunos.
Na entrevista que Rosembaum deu ao site Terra, no último dia 21, ele falou desse projeto que ajudou a colocar em prática junto com a Suvinil e com a Prefeitura de Blumenau.
Leia abaixo o trecho.
“Estou envolvido no projeto social em Blumenau (SC) junto com a Suvinil para pintar os abrigos dos desabrigados pelas chuvas. Estamos capacitando os moradores a virar pintores. Eu já fui para lá quatro vezes desde a época da catástrofe. Criei o projeto, fiz os contatos e vou sugerir workshops para criar uma cartela de cores para pintar os espaços. Com isso, eles estão conquistando dignidade e autoestima neste momento tão delicado da vida deles. Imagino que até o final do ano esteja finalizado. Acho que isso acaba virando um projeto de multiplicação, porque vemos hoje acontecer a mesma situação no Norte e Nordeste”.

PRÊMIO NACIONAL


O deputado estadual Marcos Vieira (PSDB) recebe hoje, em Brasília, o Prêmio Mérito Legislador 2008 pela autoria da lei nº 14.653/2009, que determina a realização de exames oftalmológicos gratuitos nos alunos das primeiras e quintas séries da rede pública de ensino de Santa Catarina. A comenda será entregue pelo Senado Federal, por intermédio do Instituto de Estudos Legislativos Brasileiros (IDELB), a 150 projetos de todo o Brasil que tenham reconhecida relevância social. Marcos Vieira será o único deputado estadual de Santa Catarina a receber o prêmio. “Mais do que nunca, estou seguro de haver contribuído com um serviço relevante à saúde e ao aprendizado escolar das nossas crianças”, disse o parlamentar.

CADASTRO POSITIVO

O sistema operacional que vai operar o cadastro positivo para os lojistas deve baixar os juros em até 60%. O modelo que os CDLs pretendem adotar, cria notas de 1 a 7 e de 1 a 10 para premiar bons pagadores, segundo o perfil do consumidor, e a análise automática vai estipular níveis de crédito para os clientes.
As situações de adimplência e inadimplência terão pesos diferenciados na formação da pontuação, e os prazos serão mais importantes que a origem da dívida. Segundo o presidente do Conselho Nacional de Diretores Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Júnior, o SPC Brasil vai analisar diferentes perfis e traçar estratégias de crédito que vão ampliar prazos e reduzir taxas de juros para os que tiverem um bom histórico.
“Se uma pessoa tem um bom escore (nível), ela pode ter prazo de 10 meses e juro de 1%. Uma outra, com pontuação menor, o prazo é encolhido para seis e os juros vão a 2%”. Dizem que o maior patrimônio do brasileiro é o nome. Mentira. Sem o cadastro positivo, o nome não conta nada”, disse Pellizzaro.
Aldo Gonçalves, presidente do Clube de Diretores Lojistas do Rio, diz que o software está pronto e que basta a aprovação no Senado para o Cadastro Positivo poder começar a ser alimentado. Mas os lojistas reivindicam a retirada de regras aprovadas na Câmara, como o envio de carta para a adesão e dispensa de dívidas de até R$ 60 e de serviços públicos, o que pode reduzir o crédito para a baixa renda.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 26/05/2009



Nenhum comentário:

Postar um comentário