quinta-feira, 25 de junho de 2009

PRISCO OUVIU O PASSANDO A LIMPO

A nota abaixo foi publicada na edição de hoje do Jornal A Notícia on line pelo colunista Cláudio Prisco Paraíso. Isso mostra que ele também conhece o programa Passando a Limpo, apresentado por mim na Rádio Blumenau.

Rodada tucana
No dia em que o PSDB completa 21 anos, o vice Leonel Pavan reúne-se com a executiva estadual, parlamentares, prefeitos e secretários de Estado para discutir a estratégia eleitoral do próximo ano.
Na véspera, em entrevista de rádio, em Blumenau, o presidente do Badesc, Dalírio Beber, declarou que, independente de ter ou não a tríplice aliança, Luiz Henrique entrega o cargo para Pavan em janeiro de 2010.
Segundo Dalírio, o PSDB nacional já fechou com o DEM e com o PPS, o que deve acontecer também em Santa Catarina, em função do projeto nacional.


AGORA É OFICIAL



Conversei ontem a noite com o Secretário Municipal de Regularização Fundiária e Habitação, Álvaro Pinheiro, e ele garantiu que as 247 pessoas inscritas no Auxílio Reação que tiveram seus nomes enviados fora do prazo, segundo o governo estadual, irão receber as seis parcelas de R$ 415,00 a partir de julho.
Álvaro informou também que o próprio governador se sensibilizou com essas pessoas que se inscreveram e acabou liberando os recursos para que elas recebam esse benefício.
Portanto, houve um entendimento entre a Prefeitura e o Governo de Santa Catarina, através do prefeito João Paulo Kleinubing e do governador Luiz Henrique, e o estado é quem vai mandar o dinheiro para a prefeitura pagar os 247 inscritos.

GAFES

Algumas coisas estranhas aconteceram na inauguração da subestação da Eletrosul, em Joinville, na última segunda-feira.
A primeira foi que Sérgio Alves, presidente da Celesc Distribuição, sequer foi colocado na lista de autoridades presentes na ocasião.
Sérgio, que já foi presidente da Associação Empresarial de Joinville, acabou indo embora mais cedo. Mais tarde teve seu nome citado num agradecimento pela conclusão da obra.
A segunda foi com o presidente da Celesc Holding, Eduardo Pinho Moreira, que mesmo tendo liberado R$ 18 milhões para a construção da subestação, cerca de 30% do total, não o permitiram discursar, mesmo tendo o próprio governador Luiz Henrique pedido para que Pinho Moreira pudesse falar sobre a participação do governo do estado na participação da execução de todo o projeto.
Tal atitude acabou irritando a cúpula peemedebista e o próprio governo de Santa Catarina, causando um mal estar entre o poder público municipal e o estadual.

CARTEL



Depois que publiquei a nota onde mostrava que na cidade de Joinville a gasolina é vendida a R$ 2,19, ou seja, quarenta centavos mais barata que em Blumenau, recebi vários e-mails dizendo que aqui na cidade há realmente um cartel entre os postos de combustível.
Um desses e-mails informou inclusive que o Sindicato dos Postos de Gasolina de Blumenau é quem lidera essa prática. Disse também que até o próprio plano diretor da cidade inviabiliza a implantação de concorrentes por aqui.
Acho que ta mais do que na hora do Ministério Público interferir nessa questão. Está cada vez mais na cara que alguma coisa de estranho existe realmente.

PIZZOLATTI PRESTIGIA POSSE

Na próxima sexta-feira o deputado federal João Pizzolatti (PP) estará em Joinville prestigiando a posse do novo Secretário de Infra-estrutura Urbana, Ariel Pizzolatti.
Ariel, que é irmão de João Pizzolatti, foi indicado pelo deputado federal como forma de manter a aliança entre PT e PP naquela cidade e também para começar a ocupar o espaço deixado por Kennedy Nunes, correligionário dos irmãos Pizzolatti, quando do aumento da passagem de ônibus e da tarifa de água por parte do Prefeito Carlito Merss (PT), que na campanha de 2008 havia prometido que a mudança de valores não iria acontecer.
A solenidade está marcada para às 14:00 horas na Sala do Colegiado da Prefeitura de Joinville e João Pizzolatti vem acompanhado do Ministro das Cidades, Márcio Fortes.

PROJETO APROVADO



O projeto de lei do vereador Beto Tribess (PMDB), que altera a redação do artigo 2º, da Lei n.º 6.946, e inclui a Sociesc – Escola Técnica Tupy – na lei que cria programa de bolsa de estudo técnico-profissionalizante para adolescentes foi aprovado em segunda votação na sessão de terça-feira na Câmara de Vereadores de Blumenau.
Com isso, o artigo passa a vigorar com a seguinte redação: As Bolsas de Estudo, em número ilimitado, serão oferecidas pelo Poder Público Municipal, gratuitamente, através de convênios com o Senai, o Senac e a Sociesc, com cursos de conhecimento e suporte técnico necessário para que o jovem se profissionalize para o mercado de trabalho.

OLIMPÍADAS ESCOLARES

Hoje os dirigentes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) estarão em Blumenau para uma primeira conversa com dirigentes blumenauenses, às 11:00 horas no Viena Park Hotel, onde será colocado que a cidade tem capacidade de realizar as Olimpíadas Escolares Brasileiras (JEBs).
A cidade é candidata para sediar o evento no mês de setembro de 2010. A competição reúne atletas que cursam o ensino médio, com faixa etária entre 15 e 17 anos. A captação das Olimpíadas Escolares Brasileiras (JEBs) vem sendo coordenada pelo Blumenau Convention & Visitors Bureau, pela Fundação Municipal de Desportos e Secretaria Municipal de Turismo, com apoio da Prefeitura de Blumenau e do Governo do Estado. A proposta é repetir o sucesso alcançando em 2007, quando Blumenau foi sede das Olimpíadas Universitárias Brasileiras (JUBs) e que trouxe para cidade mais de 3.500 atletas de todo país. As Olimpíadas Escolares são o maior evento estudantil esportivo do Brasil.

DEPUTADO PEDE DEMISSÃO DE MINISTRO



O deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) pediu, ontem a tarde na audiência da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara Federal, a demissão do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. Na presença do próprio ministro, o deputado disse que Minc "envergonha o País" pelo fato de ele ter acusado os produtores rurais de serem vigaristas e depois ter dito que essa declaração não corresponde ao seu pensamento.
O ministro pediu desculpas ontem mesmo por ter chamado os produtores rurais de vigaristas, durante manifestação da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricutlura (Contag) no mês passado. O ministro admitiu que a declaração foi feita no calor do carro de som e não corresponderia ao seu real pensamento.
"Olha que vergonha, o País ter um ministro que diz o que não pensa. Acho que o senhor deveria sair daqui e pedir demissão", disse Queiroz.
"O verdadeiro vigarista é aquele que tapeia, engana, que fala demais", acrescentou o deputado federal.
já o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse que as declarações de Minc foram feitas porque o ministro "não tem proposta e tem que criar factóides e acusações, satanizar alguém, para esconder a incompetência do ministério".

COMPRA DE TERRENOS

O governador Luiz Henrique assinou na tarde de terça-feira, em Joinville, convênios para repasse de R$ 1,9 milhão para oito municípios das regiões Norte e Vale do Itajaí, atingidos pelas fortes chuvas de 2008.
Os recursos vieram de doações ao Fundo Estadual de Defesa Civil e serão utilizados na aquisição de terrenos que estejam fora de áreas de risco e acima da quota de enchente. Nos locais, serão construídas moradias às famílias atingidas. As cidades beneficiadas foram Guabiruba (R$ 150 mil), Nova Trento (R$ 100 mil), Itajaí (R$ 350 mil), Corupá (R$ 275 mil), Guaramirim (R$ 100 mil), Jaraguá do Sul (R$ 400 mil), Joinville (R$ 400 mil) e Indaial (R$ 200 mil).
Segundo a Presidente da Cohab/SC, Maria Darci Mota Beck, o restante de recursos para atender o déficit de moradias, que é de seis mil residências, após o desastre virá por meio do programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida. As doações ao fundo totalizam R$ 34 milhões, dos quais R$ 15 milhões já foram utilizados para compra de terrenos, destinados em fevereiro, além de cerca de R$ 17 milhões para o Auxílio Reação, que hoje beneficia cerca de sete mil famílias catarinenses atingidas pelas chuvas.

DIPLOMA DE JORNALISTA

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio aprovou nesta quarta-feira requerimento do deputado Miguel Corrêa (PT-MG) para a realização de uma audiência pública sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de acabar com a obrigatoriedade de diploma em jornalismo para o exercício da profissão de jornalista. Segundo o deputado, a matéria é polêmica e merece um debate mais amplo.
Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o ministro Gilmar Mendes, relator do caso no STF, disse que não há possibilidade de o Congresso reverter o que foi decidido pelo Supremo e explicou que, futuramente, a decisão deve atingir outras profissões regulamentadas.
Para Corrêa, no entanto, o Legislativo está apenas cumprindo o seu papel. "É uma posição do ministro do Supremo e eu respeito inteiramente. Agora, é óbvio também que isto não impede a Casa Legislativa de manter os seus trabalhos. Aqui no Congresso, nós temos outro entendimento".
Para o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que tem diploma de jornalista, o Supremo confundiu liberdade de expressão com o exercício da atividade profissional. Ele está colhendo assinaturas para a apresentação de uma Proposta de Emenda à Constituição que volte com a obrigatoriedade do diploma.
O deputado assinala que a sociedade e o Parlamento já começaram a compreender o prejuízo que a medida trará para a sociedade, inclusive com a desregulamentação futura de outras profissões. Ele citou, em particular, o caso das universidades que formam os profissionais que podem ter suas profissões desregulamentadas como antropólogos, cientistas sociais e professores de educação física, entre outros.






Sérgio Eduardo de Oliveira – 25/06/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário