segunda-feira, 8 de junho de 2009

TOMELIN NO PASSANDO A LIMPO



Esteve no programa Passando a Limpo da última sexta-feira, o deputado estadual Giancarlo Tomelin (PSDB) que falou, entre outras coisas, de eleições de 2010.
Disse que, nesses 150 dias da sua segunda passagem na Assembléia, está na plenitude do exercício do mandato de deputado estadual e agora pode sim ser cobrado e avaliado pela comunidade.
Tomelin informou que, numa conversa que teve com o governador Luiz Henrique e com o vice Leonel Pavan, conseguiu transferir R$ 10 milhões da SC 401, em Florianópolis, para a cidade de Blumenau. Com isso, a cidade, que receberia R$ 28 milhões do governo do estado, teve um repasse de R$ 38 milhões.
Disse também que, na sexta-feira, o Hospital Santa Isabel recebeu pouco mais de R$ 400 mil para obras no sistema elétrico da instituição através de um trabalho que ele, Tomelin, fez junto ao secretário de saúde do estado, Dado Cherem.

EM GASPAR

Tomelin falou na entrevista, que trouxe o secretário Dado Cherem ao Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Gaspar, para conseguir uma verba de R$ 3,5 milhões para reabrir o hospital. Segundo ele, R$ 2,5 milhões já devem vir até o fim de junho, e os outros R$ 1 milhão vai trabalhar em conjunto com a secretaria para colocar no orçamento.
Essa é uma mais que emergencial para desafogar também os hospitais de Blumenau.
Segundo o deputado Tomelin, ele, em 5 meses, já trouxe para a região R$ 22 milhões.

TOMELIN E ANA PAULA



Tomelin disse que, com relação aos deputados de Blumenau, tem uma afinidade maior com Jean Kuhlmann e Ismael dos Santos, do DEM, por pertencerem à base aliada do governo Luiz Henrique e do governo de João Paulo Kleinubing. Já com a deputada Ana Paula Lima (PT), Tomelin disse que como ela é oposição tanto do governo estadual quanto do o governo municipal, fica um pouco mais difícil.
Em seguida, Tomelin emendou a seguinte frase: “O que eu não gosto é de discurso; eu gosto é de prática. Quem está nos ouvindo, quer uma nova forma de fazer política, que é olhando no olho e dizendo a verdade; sem prometer o que não pode cumprir e sem discurso. Ele quer ação e a minha ação foi trazer R$ 22 milhões para a cidade de Blumenau em 5 meses”.

O JULGAMENTO

Tomelin, quando falou sobre o julgamento do processo do governador Luiz Henrique, disse, através de uma história da Mitologia Grega, que foi Pavan que salvou o mandato da atual administração estadual.
“Todos os catarinenses sabem que a espada de Dâmocles saiu do pescoço do governador Luiz Henrique graças ao vice-governador Leonel Pavan, que entrou no processo por ato de vontade e não por ter sido chamado ao processo”.

A TRÍPLICE ALIANÇA

Quando perguntei, usando uma afirmação do vereador Deusdith (PP), se a tríplice aliança não iria além deste ano, Tomelin foi enfático. “Deusdith tem uma análise verdadeira”.
Segundo o deputado, todos querem reproduzir a tríplice aliança, mas é legítima a candidatura do Senador Raimundo Colombo (DEM), é legítimo o PMDB ter candidato e é legítima a candidatura do vice-governador Leonel Pavan (PSDB).
Deixou entender que o candidato da tríplice aliança deveria ser Leonel Pavan por ter abdicado a vaga do Senado, em 2006, em benefício do suplente Neuto de Conto, do PMDB.
Segundo Tomelin, o PSDB e Leonel Pavan já cederam em 2006 e agora seria a vez dos tucanos, até porque o PSDB é o único partido que terá um candidato a presidente em 2010.
Não deixa de ser uma análise verdadeira, mas como em política nada é muito lógico, acho que o PMDB será o grande entrave nessa vontade.
Sobre as eleições de 2010, Tomelin falou que se o PMDB não respaldar a candidatura de Leonel Pavan, os tucanos vão sim procurar outros parceiros, e o PP pode ser um deles.

CORRENDO ATRÁS



O grande dilema de João Paulo Kleinubing (DEM), prefeito de Blumenau, é conseguir dinheiro dos governos estadual e federal para reconstruir o quanto antes os estragos da enchente de 2008.
Nesta semana o prefeito vai até o Rio de Janeiro para conversar com Luciano Coutinho, Presidente do BNDES, para viabilizar um empréstimo de R$ 45 milhões para as obras mais urgentes.
Na reunião que João Paulo teve com os radialistas em maio, ele já avisou que em 2009 Blumenau não terá nenhuma obra nova.
Toda a verba vai ser somente para reconstruir a cidade.

CAMINHOS OPOSTOS

Não é de hoje que o deputado federal João Pizzolatti não tem grande apego pelo casal Esperidião e Ângela Amin. Dentro do PP catarinense eles já não rezam pela mesma cartilha. Dizem que na Câmara dos Deputados, Pizzolatti e Ângela sequer se cumprimentam.
Inclusive Pizzolatti já mandou avisar que vai bater chapa em convenção caso Ângela Amin coloque seu nome a disposição do partido para a vaga do Senado em 2010.
A mágoa de João Pizzolatti começou quando Esperidião Amin mandou instalar uma CPI na Assembléia de SC, quando era governador, só para atingir o deputado.

MÁGOA

A relação do deputado João Pizzolatti com o casal Amin é a pior possível. Enquanto Pizzolatti e Ângela sequer se cumprimentam, com Esperidião o parlamentar guarda mágoa da CPI instalada na Assembléia em 2001, durante seu governo, com a intenção de atingi-lo. A CPI envolveu alguns assessores de Pizzolatti, que supostamente estariam recebendo pressão de parlamentares da então deputada estadual Ideli Salvatti (PT) para criarem fatos que envolvessem Pizzolatti e o também deputado Gilmar Knaesel em esquema de sonegação fiscal.

TIMBÓ INOVA

A prefeitura de Timbó está implantando um sistema de identificação do servidor através da digital. É o sistema biométrico, que registra a entrada e saída dos funcionários através da impressão digital, acabando com cartões ponto e também com o velho esquema de um outro funcionário passar o cartão do colega no leitor de ponto que registra a assiduidade do funcionário público.
Essa inovação atingiu todos os funcionários municipais da administração, incluindo o setor de obras, desenvolvimento econômico, saúde e educação.
Segundo o setor de pessoal da Prefeitura de Timbó, a grande vantagem é mesmo a eliminação de fraudes e maior rapidez na medição da presença do funcionário.

ENCONTRO EM IÇARA



No último sábado, o PMDB catarinense organizou um encontro, com a presença do governador Luiz Henrique e também do presidente da sigla, Eduardo Pinho Moreira. Como o encontro é no sul do estado, reduto eleitoral de Moreira, o evento foi o mais grandioso até agora, tudo para fortalecer junto a base a proposta de o PMDB ter candidato próprio em 2010.
Grande parte dos peemedebistas de SC quer a cabeça de chapa na tríplice aliança, e Eduardo Pinho Moreira está se servindo dessa vontade para ser a única opção dentro da sigla.
Mas a idéia inicial é conseguir ser unanimidade no sul do estado para depois buscar o apoio dos demais peemedebistas nas outras regiões.
Até mesmo o governador já entende que, se Moreira conseguir êxito nessa sua estratégia, vai ser difícil contrariar os companheiros de partido. O problema para Luiz Henrique é achar um jeito de garantir com folga a sua vaga no Senado.

PELA JANELA

Mesmo o governo do estado tendo uma grande equipe na sua Secretaria de Comunicação, a Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer acabou contratando, pelo valor de R$ 380 mil, segundo o Diário Oficial do estado de número 18.614, página 12, a Setecma – Associação do Turismo, Esporte, Cultura e Meio Ambiente – para divulgar eventos turísticos de Santa Catarina.
É por essas e outras que se acaba desconfiando das ações do governo por toda Santa Catarina.

MUITOS PROCESSOS

No Judiciário brasileiro há 70.128.605 processos em tramitação. Esse número é somente até o fim de 2008, onde surgiram pouco mais de dois milhões de novos processos. Em 2007 o número era de 67,7 milhões de processos esperando julgamento. Os dados foram revelados na terça-feira passada com a divulgação da pesquisa Justiça em Números 2008, elaborada pelo Departamento de Pesquisa Judiciária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Ao todo, 15.731 juízes das justiças federal, estadual e do trabalho possuem uma carga de trabalho que varia de 1,9 mil (federal) processos a 9 mil (estadual) por magistrado.
Segundo a pesquisa, uma das maiores cargas de trabalho dos juízes verificadas com os dados de 2008 estava concentrada no 1º grau da Justiça estadual. Os 8.603 magistrados tinham em seus Estados mais de 45 milhões de processos em tramitação, o que resultou em uma carga de trabalho de 9.035 processos para cada juiz.
Assim não tem como a justiça cumprir seu papel.
E aí só nos resta a impunidade.




Sérgio Eduardo de Oliveira – 08/06/2009

Um comentário:

  1. Sérgio
    Belos textos e atualizados. Eu ouvi sua entrevista com o deputado amigo Jean Carlo Tomelin, te mandei através do fale@radioblumenau.com.br, uma mensagem já cedo em sua entrevista. Pena que você não leu o e-mail, eu recebi a confirmação de leitura só as 17:05 – Mas quem sabe na próxima , creio que você anunciou para mandar e-mail, e esqueceu, devido a entrevista. Mas quero dizer a foi muito boa, pois considero o Tomelin um dos políticos daqueles que nos faz acreditar ainda na política, mas é raro.
    Um abraço a você pelo belo trabalho e sucesso.
    Adalberto Day cientista social e pesquisador da história

    ResponderExcluir