quinta-feira, 24 de setembro de 2009

BANCÁRIOS PARAM

Os bancários da Grande Florianópolis decidiram entrar em greve durante votação realizada na noite de ontem. Numa assembléia realizada em várias cidades do país, a grande maioria dos trabalhadores da região seguiu as orientações do Comando Nacional dos Bancários e resolveu paralisar suas atividades a partir de hoje por tempo indeterminado.
A categoria negocia com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) desde agosto, mas os banqueiros não apresentaram nenhuma proposta que agradasse as reivindicações da classe. A principal delas é o aumento de 10%, mas eles ainda pedem melhores condições de trabalho, mais segurança nas agências, novas contratações e maior participação nos lucros.
O prazo dado pela Contraf, que representa os bancários, foi o dia de ontem para que a federação doa bancos fizesse uma contra-proposta. A última feita não agradou, que foi um aumento de 4,5%.
Além de Florianópolis, cidades como Criciúma, Joaçaba, Concórdia e Chapecó também já aderiram ao movimento.

BRIGA JUDICIAL

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 336/2009, conhecida como a PEC dos Vereadores, que aumentou o número de legisladores em todo o país, parece que ainda vai dar muito pano pra manga. É que ela foi aprovada retroativa a 2008, possibilitando os suplentes de assumirem.
Mas o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, anunciou que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), caso a Justiça Eleitoral comece a dar posse aos suplentes. A OAB considera a medida inconstitucional.
Tanto o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto, quanto o presidente do STF, Gilmar Mendes, disseram ao longo da discussão da PEC, terem dúvidas sobre a possibilidade de empossar os suplentes.
No mesmo dia os deputados também aprovaram a proposta que reduz o teto dos gastos com os legislativos municipais. Pela proposta, o percentual máximo dos repasses cai de 5% para 4,5% nas cidades com mais de 500 mil habitantes. Atualmente, o repasse de recursos dos executivos municipais para as casas legislativas varia entre 5% e 8%, dependendo do número de habitantes do município.
Só quero ver como colocar toda essa gente nas Câmaras, sem esquecer, é claro, de mais alguns assessores.

ESSE É FERA 1

O vereador mirim Anthony Louis Azevedo, da 7ª série do Colégio Bom Jesus, mostrou que é mesmo diferente. Ele conseguiu levar a Câmara Mirim toda para Brasília. Em junho desse ano Anthony teve a idéia de inscrever a Câmara Mirim de Blumenau para concorrer a uma vaga destinada a Câmaras Mirins de todo o país. O prêmio é o direito de a Câmara Mirim da Cidade fazer-se presente no Evento Nacional da Sessão Especial da Câmara Mirim Federal em Brasília, no próximo dia 22 de outubro.
No total foram sessenta e nove Câmaras Mirins inscritas de todo o Brasil e Blumenau (SC), Belo Horizonte (MG), Guaratuba (PR), Quissamã (RJ) e Orlândia (SP) foram as cinco escolhidas.

ESSE É FERA 2

Em julho ele já a havia conseguido levar, pela primeira vez, os seus colegas para conhecer a Assembléia Legislativa de SC e também fizeram uma visita para o governador Luiz Henrique, em Florianópolis.
E a coisa não para por aí. Anthony também enviou ao Congresso Nacional dois Projetos de Lei de sua autoria para apreciação: um regulamentando a venda de uniformes e fardas policiais e militares, e outro propondo a implantação de um Plano de Formação Política aos alunos das 6ªs e 7ªs séries em todo o país. Uma grande vantagem dos projetos propostos por ele é que a implementação não gera despesas aos governos federal, estadual e municipal.
Sem dúvida já fez mais do que muitos que hoje estão como vereador da cidade.



Sérgio Eduardo de Oliveira – 24/09/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário