segunda-feira, 26 de outubro de 2009

HONESTIDADE



Veja essa matéria que foi publicada no site do Terra na última sexta-feira. Se muitos representantes do povo fossem assim, teríamos um país perfeito.



Ao tentar sacar R$ 2 em uma agência bancária no domingo, o gari Carlos Corgozinho, de Divinópolis (MG), viu a quantia de R$ 5.730 sair do caixa eletrônico, valor que não tinha em sua conta. No dia seguinte, o servidor voltou ao banco para devolver o dinheiro. A informação é do Bom Dia Minas.
"Dá vontade de gastar, mas não pode. Não é meu", disse o funcionário municipal, que ganha um salário mínimo por mês e trabalha na função há um ano e meio. Na segunda-feira, o gari retornou à agência acompanhado de seu patrão. O banco realizou vistorias nas máquinas e nenhum extrato constatou a liberação da quantia, mas Corgozinho devolveu todo o valor.
"Eu nunca vi uma quantia tão grande igualzinha a essa. A gente que é pobre fica assustado", afirmou.

PT e PMDB

Com o anúncio de que o PT fechou com o PMDB no cenário nacional, os deputados estaduais catarinenses do Partido dos Trabalhadores acabaram tirando o pé do acelerador quando o assunto é atacar o governo Luiz Henrique.
Como tanto PMDB quanto o PT, em Santa Catarina, querem enfraquecer DEM e PSDB, vale tudo nesse jogo político que só acabará em outubro de 2010.
Depois disso, tudo volta ao normal, pelo menos até as eleições de 2012, quando todo mundo reassume o papel de aceitar tudo e todos, sem exceção.
Mesmo que essa dobradinha acontece aqui no estado, alguém tem alguma dúvida que PMDB e PT se manterão unidos numa eventual vitória. Quem tiver a caneta, vai tratar de colocar o outro no seu devido lugar.

EU FICO

O Governador Luiz Henrique já deixou claro que, se não conseguir manter o PMDB na tríplice aliança em 2010, prefere desistir da candidatura ao Senado a ter que apoiar uma coligação que nunca quis.
Com isso, ficaria no comando do governo do estado até o fim de 2011 e passaria a criar ações que beneficiasse o candidato da coligação PSDB/DEM.
O problema é que exigiria que o PP não fizesse parte de uma eventual nova tríplice aliança.
Não quer de jeito nenhum alimentar a popularidade do seus maiores adversários: a família Amin, que já vem criando um novo membro para o futuro.
O filho de Esperidião e Ângela Amin, o vereador João Amin, já vem conseguindo bom espaço de mídia e também no cenário político estadual pelo seu modo com que vem vigiando de perto o governo do prefeito Dário Berger (PMDB), de Florianópolis.

“ZONA” AZUL 1



A tentativa da Prefeitura de Florianópolis de privatizar a Zona Azul na cidade está gerando muitos problemas para todos. Os 294 agentes fizeram uma paralisação na semana passada em protesto. Voltam ao trabalho nesta segunda, mas em estado de alerta. Vão se reunir de dois em dois dias para avaliarem o encaminhamento do projeto na Câmara de Vereadores da capital, que tem que ser votado até o dia 3 de novembro.
Representantes dos monitores estão fazendo reuniões periódicas com vários vereadores para que os parlamentares não votem o projeto.

“ZONA” AZUL 1

A intenção do IPUF, o órgão que controla o sistema, de privatizar a Zona Azul é para aumentar a lucratividade com os espaços de estacionamento público, mas segundo o projeto, a empresa que ganhar a licitação não terá a obrigação de oferecer benefícios sociais, como o incentivo ao primeiro emprego para jovens de Florianópolis.
Lá como cá, a concessão de serviços públicos para empresas privadas pode, num primeiro momento, parecer a melhor saída. Mas temos muitos exemplos que ao longo dos anos a coisa só foi boa mesmo para a empresa vencedora, da licitação, que acaba prestando um serviço pior do que aquele que vinha sendo feito pelo poder público.
Lembram quando o ex-prefeito Vilson Kleinubing privatizou a coleta de lixo em Blumenau?

VOLTA O MUNDO



O Jornal Diário Catarinense fez uma matéria que mostra que o Governador Luiz Henrique da Silveira destinou aproximadamente 10% dos seus dois mandatos em viagens. No último fim de semana terminou a última viagem que o atual governador fez antes de passar o cargo para o vice, Leonel Pavan (PSDB), em janeiro de 2010. Na minha opinião, esse tipo de contato é positivo e deve ser feito, pois com um mundo globalizado, se não aparecermos, outros estados acabam levando vantagem na captação de investimentos externos.
Segundo a matéria, dos 2309 dias que está à frente do governo de SC, 231 passou em missões estrangeiras visitando, ao todo, 24 países, como Rússia, Estados Unidos, Suíça e Alemanha.
Leia a matéria na íntegra, inclusive com dois arquivos em PDF, no link abaixo.
http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2695516.xml&template=3898.dwt&edition=13374&section=846





Sérgio Eduardo de Oliveira – 26/10/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário