sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

CADÊ O PÚBLICO?

Ontem a noite teve início a Superliga de Vôlei Masculino e a equipe do Barão/FMD/Bunge estreou contra o Minas Tênis Clube (MG), que na temporada passada ficou com o vice-campeonato nacional, perdendo apenas para a equipe do Florianópolis.
Tava tudo certo para um grande público: uma competição de nível nacional, duas equipes de ponta do voleibol brasileiro e uma noite pra lá de agradável.
Mas os blumenauenses deixaram a desejar e não compareceu para um grande evento esportivo, coisa que há muito tempo esses mesmos blumenauenses reclamavam da falta de oportunidades como essa.

A DESCULPA
Diziam que Blumenau tinha que seguir os passos de Jaraguá, que tem um time na liga nacional de futsal, de Brusque, que tem um time na liga nacional de vôlei feminino, de Joinville, que tem um time na liga nacional de basquete, e de Florianópolis, que tem várias equipes em ligas nacionais em várias modalidades.
Mas agora povo de Blumenau? Qual será a desculpa para o não comparecimento em massa na liga nacional de vôlei masculino?
A cidade tem um time masculino de vôlei na liga nacional. Não adianta de nada só comparecer quando o campeonato estiver na reta decisiva. No sábado próximo o Barão/FMD/Bunge vai jogar com o time do Cruzeiro, às 19:00 horas, no Galegão.
Espero ver mais gente do que vi na noite de ontem, quando o vice-campeão nacional, que tem André Heller, André Nascimento e outros jogadores que já passaram pela seleção brasileira, jogou contra o Barão/FMD/Bunge.
Depois não reclamem se ninguém mais se interessar em fazer um time para disputar uma liga nacional.

CONSOLO

O blumenauense tem o dever de prestigiar essa competição, pois caso contrário, terá que se contentar com o Metropolitano tentando conquistar uma vaga na 4ª divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol, o que para mim ta mais difícil do que o ressurgimento do BEC.
Tenho a absoluta certeza que, caso o Flamengo seja campeão brasileiro, vai ter mais gente na Alameda no domingo a noite do que no jogo do Metropolitano contra o Joinville da última quarta-feira no Sesi.
Então se o povo da cidade torce mais para os times da primeira divisão, vamos lotar o Galegão no próximo sábado e torcer pelo Barão.
Essa é a hora.

CULPA NO CARTÓRIO 1

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, disse ontem que vai entrar na Justiça Federal de Brasília com uma queixa-crime contra o empresário Alcyr Collaço, dono do jornal Tribuna do Brasil, de Brasília, que foi filmado colocando dinheiro de propina na cueca.
Em outra gravação, Collaço cita os nomes de quatro deputados federais, entre eles o de Temer, relacionando-os a propinas.
Temer afirmou também que vai recorrer à Justiça em São Paulo para obter cópias de papéis apreendidos pela Polícia Federal na construtora Camargo Corrêa.

CULPA NO CARTÓRIO 2

Segundo informações da imprensa, o nome de Temer é citado entre os beneficiários de doações ilegais. De posse dos papéis, Temer pretende tomar as providências judiciais cabíveis. Ele classificou as denúncias de “vilania” e disse que não sabe a que atribuí-las.
Uma das hipóteses é o fato de ser presidente da Câmara e outra é a possibilidade de ser candidato a vice-presidente da República nas próximas eleições.
Ele afirmou também que as doações que recebeu da construtora Camargo Corrêa são legais. “O mais é balela e infâmia”, disse. Acrescentou que acha estranho que o nome dele tenha sido pinçado dentre 200 outros.
Questionado por um repórter sobre a possível existência de uma indústria de dossiês, Temer afirmou: “O pior é que são falsos”.

A RESPOSTA DE MARÇAL

Como já era esperado, o vereador blumenauense João José Marçal (PP) respondeu as acusações do seu companheiro de legislatura, o também vereador Vanderlei de Oliveira (PT), que o chamou na sessão da última terça-feira de funcionário quase fantasma do gabinete do deputado federal João Pizzolatti (PP).
Vanderlei também chamou Marçal de “um dos vereadores mais atrapalhados desta Casa”, e Marçal iniciou seu pronunciamento da seguinte forma: “Quem está atrapalhado é seu amiguinho Décio Lima”. Marçal mostrou matéria publicada na última edição da Revista Veja, que acusa Décio de envolvimento em ações de lobby promovidas pelo assessor Marcelo Sato, genro do presidente Lula, para a empresas. Na reportagem, Décio é acusado de utilizar uma aeronave do grupo investigado pela Polícia Federal para se deslocar até a inauguração da indústria de biodiesel brasileira, em Mato Grosso.

MARÇAL DISSE MAIS

“Dia 14 de fevereiro o Sato e o empresário chinês estavam no Palácio do Planalto em Brasília”, enfatizou o progressista. Marçal comentou ainda a intenção federalizar o Porto de Itajaí. “Vergonha! E quem deu a idéia foi Décio Lima. O Porto de Itajaí nunca teve problemas na administração, quando Décio Lima assumiu o porto teve problemas”, afirmou. O progressista fez ainda a leitura da coluna do jornalista Carlos Tonet, no Jornal Folha de Blumenau de ontem, que diz: “Décio era a nossa maior estrela política até a chegada do João Paulo. Foi ultrapassado logo na largada. Às vezes parece estar atrás até mesmo da sempre atenta, competentíssima Ideli, a nossa rainha”. Marçal também mencionou que o deputado é o único favorável ao terceiro mandato de Lula.
Zé Marçal também respondeu a acusação feita por Vanderlei de o que progressista foi por determinado tempo, um funcionário quase fantasma do Congresso Nacional. “Para se dirigir a mim tem que olhar primeiro para sua casa. Porque você foi diretor do Procon na época do Décio Lima e ninguém te conhece lá. Eu trabalhava, não preciso usar o trabalho dos outros para manchar a vida de alguém”, declarou.
Por fim, lamentou não poder fazer como vários telespectadores da TV Legislativa, “quando o vereador Vanderlei vai para tribuna mudam de canal”.



Sérgio Eduardo de Oliveira – 04/12/2009



Nenhum comentário:

Postar um comentário