quarta-feira, 5 de outubro de 2016



ABSOLVIDOS 1

O delegado Ronnie Reis Esteves e os agentes da Polícia Civil Maurício Nunes dos Reis e Elton Paulo Aneris foram absolvidos, na manhã de ontem, na 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, por unanimidade da acusação do crime de tortura, acontecido supostamente numa abordagem policial no bairro Itoupavazinha, em Blumenau, no dia 29 de maio de 2013. Eles foram acusados por 6 pessoas, entre elas 3 menores, que disseram ter sido espancados pelo agentes Elton e Reis. O delegado Esteves respondia também o crime de omissão, pois segundo a justiça, ele estava em posição de evitar ou apurar a conduta dos policiais civis ao invés de omitir o suposto crime.

ABSOLVIDOS 2

Em 2015 os três policiais haviam sido condenados, mas foram mantidos nos cargos por conta de uma liminar até que o caso fosse julgado em definitivo.
O delegado Ronnie e os agentes Reis e Elton podem agora retornar para suas funções no combate a criminalidade na cidade de Blumenau. Agora os bandidos que se cuidem.  

OUTUBRO ROSA

Mauro Dorigatti foi ex-Presidente do Seterb e criador da Área Azul, ex-presidente do Samae que deu início a implantação do tratamento de esgoto sanitário na cidade, foi ex-Procurador Geral de Blumenau e também foi Secretário Adjunto da Secretaria de Segurança Pública do Estado hoje apenas advoga no seu escritório no centro de Blumenau, mas nas horas vagas acha um tempo para também deixar sua marca em apoio a Rede Feminina de Combate ao Câncer.
Ele e sua esposa foram fotografados com uma lata de tinta e pincel pintando a ponte Adolfo Konder, que liga o Centro de Blumenau ao bairro Ponta Aguda.
Isso prova que todo mundo pode e deve fazer a sua parte.

ANÁLISE

Em Blumenau a eleição continua e parece que o prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) conseguiu reverter um quadro que antes do período de propaganda no rádio e TV parecia desfavorável.
Ainda não se sabe se o radialista Alexandre José (PRB), como vice de Jean Kuhlmann (PSD), segurou a pontas da dupla ou se não teve o efeito esperado.
Enfim, amanhã começa mais um período de propaganda, mas agora com tempos divididos igualitariamente e as coisas parecem esquentar, pois até agora nada de muito contundente aconteceu pelos lados do Vale do Itajaí.

FANTASMAS

Quem anda sumido da eleição em Blumenau é o ex-prefeito e atual Secretário Estadual da Saúde, João Paulo Kleinubing (PSD). Somente na reta final do primeiro turno que ele deu as caras e passou em alguns bairros acompanhando o candidato Jean. Talvez ele sofra do mesmo dilema de Cesar Souza Jr., em Florianópolis.
Não se sabe se os candidatos apoiado por eles decidiram não usá-los ou foi JPK e Cesar Souza Jr. que não quiseram se comprometer.
O que se tem certeza é que eles terão que entrar em cena se quiserem que seus candidatos vençam no segundo turno de 2016.

HORÁRIO ELEITORAL

É fato que tanto Napoleão Bernardes, em Blumenau, quanto Udo Dohler, em Joinville, tiveram mais habilidade para buscar outros partidos para suas coligações e, consequentemente, conseguiram o tempo maior na TV e no rádio. Isso fez com que ambos pudessem mostrar, com mais detalhamento, as ações de seus governos e saíram-se bem das urnas no primeiro turno, sendo aprovados pelo eleitor de suas cidades.

CONTRAPONTO

Mas o discurso de Jean Kuhlmann (Blumenau) e Darci de Matos (Joinville), nesse segundo turno, é que os atuais prefeitos não tiveram a aprovação da maioria do eleitorado votante. Napoleão obteve 44,81% e Udo teve 45,01 dos votos válidos. Com isso, eles afirmam que os moradores de Blumenau e Joinville querem mudança e partem para o confronto com seus adversários, o que tira da zona de conforto os candidatos que buscam a reeleição.

NA CAPITAL

Já em Florianópolis Gean Loureiro (PMDB) fez o que se esperava dele. Venceu no primeiro turno a candidata Ângela Amin (PP), como direcionava as pesquisas, e segue como favorito para assumir a prefeitura da capital em 2017.
Mas a coisa não é tão simples assim, porque os caciques políticos devem dar as caras nesse segundo turno.
Mas o fato novo que surgiu na terça-feira foi a condenação, por improbidade administrativa, da candidata Ângela Amin (PP). O fato não interfere nas eleições municipais nem a impede de disputar o segundo turno. A condenação, que ainda cabe recurso, só afetará a candidata Ângela se ela vencer as eleições, pois poderá ser impedida de assumir o cargo de Prefeita de Florianópolis por conta da inelegibilidade pelo período de 5 anos. Novos fatos podem tumultuar a campanha na Capital.  



Nenhum comentário:

Postar um comentário