segunda-feira, 3 de outubro de 2016



NOVO MODELO 1

No dia 28 de julho último a Deputada Estadual Dirce Heiderscheidt (PMDB) deu entrada na Assembléia de SC, nas comissões de Justiça, Finanças e Saúde, com o projeto de lei que visa instituir a carteira de vacinação eletrônica, onde deverão conter todas as informações referentes ao tipo de vacina e a data em que foram aplicadas. Estas informações ficariam salvas em um banco de dados, geridos e administrado pela Secretaria de Saúde do estado, que pode ser acessado por todos os postos de saúde em qualquer cidade de Santa Catarina.
A justificativa da deputada é que a grande maioria dos catarinenses não guardam suas carteirinhas de saúde e, com isso, não tem as informações corretas e necessárias sobre quais vacinas já tomou. O projeto segue seu tramite no legislativo catarinense e, se for aprovado, deverá entrar em vigor já em 2017.
 
NOVO MODELO 2

Em 2014 o Ministério da Saúde disponibilizou um aplicativo para usuários de smartphone e tablets que possibilita, de forma fácil e ágil, acompanhar o calendário de vacinação de crianças e adultos. Nesse aplicativo estão disponíveis todas as vacinas oferecidas pelo SUS e o usuário pode cadastrar até dez carteirinhas de vacinação.
O aplicativo também possibilita que o calendário de vacinação seja enviado via e-mail para impressão, contém a função lembrete, com notificações sobre as campanhas sazonais, e também possibilita calcular, a partir da inserção da primeira vacina tomada, quando o paciente deve retornar ao posto de vacinação para nova imunização. O aplicativo tem 3.1 megas e pode ser baixado na guia de aplicativos do Portal Brasil. É só copiar o link abaixo e colar no seu navegador.

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.digital.vacinacao

A VOZ DO POVO

Uma curiosidade dessas eleições municipais em Santa Catarina é que duas cidades importantes do estado reconduziram ao cargo de prefeito dois postulantes que também tiveram vitórias expressivas em seus municípios em 2012, mas que foram impedidos de assumir por conta de ações na justiça. Foram as cidades de Caçador, que elegeu Saulo Sperotto, e Criciúma, que elegeu Clésio Salvaro, ambos do PSDB, que poderão assumir, se mais nada os impedir, as suas respectivas prefeituras a partir de janeiro de 2017.  

SALVARO

E por falar em Salvaro, ele teve a vitória mais expressiva do estado, derrotando mais uma vez seu ex-vice e hoje seu maios adversário, o atual prefeito Márcio Búrigo (PP).
Ele teve 75,87% de todos os votos válidos em 2016, fato que também ocorreu em eleições passadas quando ganhou, mas não levou. O grande problema de Salvaro neste momento é que a Procuradoria Regional Eleitoral recorreu de uma sentença que deu ganho de causa para o candidato do PSDB e agora quer levar o caso até o Tribunal Superior Eleitoral para tentar barrar a posse dele numa eventual vitória.
O fato positivo, segundo o colunista do Jornal Tribuna, Adelor Lessa, é que Salvaro recebeu, na última sexta-feira (30/09), a ligação do Ministro das Cidades, deputado Bruno Araújo (PSDB), oferecendo apoio para Clésio junto ao Governo Federal, a partir de 2017, para a viabilização de recursos para obras no município.
Agora é esperar o resultado da justiça, pois só aí Clésio Salvaro sentará na cadeira de prefeito em 2017.

AS CURIOSIDADES

1- E na cidade de Pescaria Brava, no litoral sul de SC, o candidato Deyvisonn (PMDB) venceu Antônio Honorato (PSDB) pela diferença de 1 voto. O peemedebista obteve 2751 votos contra 2750 do seu adversário.

2- Nas cidades de Rancho Queimado, no sul do estado, e na cidade de Salto Veloso, no meio oeste catarinense, só tinha candidatas mulheres. Cleci Aparecida Veronezi (PMDB) e Viviane Davoglio (PSD) disputaram a prefeitura de Rancho Queimado e a candidata Rosana (PMDB foi a única postulante da prefeitura de Salto Veloso.

3- O candidato Pedrão (PP), de Florianópolis, foi o vereador que mais ganhou votos em toda Santa Catarina. Ele obteve 11.197 votos, que corresponde a 4,63% de todos os votos válidos da capital dos Catarinenses. A recordista da cidade era Ângela Amin, também do PP, com pouco mais de 7700 votos em 1988, quando ganhou a eleição para vereadora.

4- Ponte alta do Norte, na região serrana de SC, foi o primeiro município do Brasil a conhecer o seu novo prefeito. Levou pouco mais de 15 minutos para que o candidato Beto (PMDB) recebesse a notícia da vitória, com 1325 votos, contra 1065 votos do candidato Tinco, do PSDB.

5- Balneário Camboriú teve 22,68% de ausentes do total de 91.438 eleitores cadastrados aptos para votar nas eleições municipais. Foram 20.738 votos que poderiam ter feito a diferença para candidatos a prefeito e vereadores da cidade. Para se ter uma ideia desse contingente, Leonel Pavan (PSDB), que ficou em segundo, teve 22.689 votos.   



Nenhum comentário:

Postar um comentário