quarta-feira, 30 de novembro de 2016


O DIA QUE NÃO TERMINOU

A história começa numa segunda a tarde, onde tudo parece normal, todos parecem fazer o que sempre fizeram, os procedimentos parecem estar dentro do conforme, mas não sabem que mais adianta se iniciaria o dia 29 de novembro de 2016, o dia quem não terminou.
O dia que levaria para um segundo plano 71 pessoas que faziam do esporte suas vidas. Que ironia, suas vidas, pois mudaram de plano justamente por aquilo que os fazia sentir vivos.
Cada um com sua história, cada um com seus sonhos, cada um com seu desejo de vencer, mas todos com o mesmo destino.
Nessa hora não importa mais que teve culpa, quem deveria ter ido e ficou, quem deveria ter ficado e foi. O que fica é que todos, de uma forma que nós aqui embaixo não sabemos, tinham suas vidas interligadas e tinham que passar esse último momento juntos.
Uma história que começa em Chapecó, mas que se espalharia pelo Brasil, agregando pessoas para fazerem parte do momento mais marcante do esporte mundial. Todos, direta ou indiretamente, foram atrás de uma taça, mas mal sabiam eles que encontrariam algo muito maior.
Tudo passa, mas 71 pessoas mudaram, nem que seja por algum tempo, o modo de ver o mundo. Mostraram que ainda há solidariedade, que ainda há companheirismo, que ainda há gente de carne e osso.
Como escreveu um anônimo, a Chapecoense subiu da D para a C, subiu da C para a B e subiu da B para a A e subiu tão alto que chegou ao céu. Como não lembrar de Caio Junior, Bruno Rangel, Kempes, Ananias, Danilo, Cleber Santana, Gil, Lucas Gomes, Thiego, Josimar e todos os outros membros da Chapecoense; como não lembrar do polêmico Delfin de Pádua Peixoto Filho, como não lembrar de Mário Sérgio, Paulo Júlio Clement, Vitorino Chermont, Giovani Klein, Guilherme Marque e todos os outros profissionais de imprensa.
Semanalmente eles entravam nas nossas casas e nós já estávamos acostumados com eles. O que eu faço agora?
Enfim, como diz o trecho da música dos Detonautas escrita abaixo, eles vão acordar de uma situação que parecia o fim para um novo recomeço e vão pensar:

“Me sinto tão estranho aqui, que mal posso me mexer irmão;
No meio dessa confusão, não consigo encontrar ninguém;
Onde foi que você se meteu, então?
To tentando te encontrar;
To tentando me entender;
As coisas são assim.”

Deus espera vocês. Parabéns pelo tempo que estiveram por aqui




*Esse texto foi publicado no mesmo horário que deveria começar o jogo do Atlético Nacional (Col) X Chapecoense (Bra).

Nenhum comentário:

Postar um comentário